Marketing Digital é Furada?

Marketing Digital é Furada?

Estava vendo este vídeo super honesto do Caio Rodrigo, sobre dropshipping, uma honestidade rara nesse meio do Marketing Digital.

E ao procurar um título adequado a este texto, vi na imagem acima a desconfiança das pessoas sobre a eficácia do Marketing Digital.

Eu passei o ano passado inteiro tentando vingar nesse ramo, especialmente no de afiliados.

Flertei com o dropshipping mas não tive energia pra recomeçar; até porque já vendi itens chineses no Mercado Livre e a cotação muito alta do dólar aliada a demora da Receita Federal para liberar as mercadorias e eventualmente cobrar impostos injustos sobre a compra desanimam demais. Até tentei nessas últimas semanas iniciar uma conta de vendedor na Amazon pra tentar fazer dropshipping nacional, mas o meu azar é tamanho que as duas contas que criei foram suspensas sabe-se lá porque.

Depois de um ano comprando cursos e mais cursos, uma dezena de livros e assistindo centenas de vídeos no youtube tentando encontrar a informação chave que me levaria as vendas ilimitadas, e não tendo sucesso nessa tarefa, tenho uma conclusão mais plausível sobre a utilidade do Marketing Digital.

Marketing Digital é fundamental para quem já tem previamente um produto ou serviço, útil e estável, off-line, e quer usar a internet para ampliar o negócio.

Ponto.

Agora, pra quem não tem um produto concreto e parte pro Marketing de Afiliados ou Dropshipping, será somente perda de tempo e energia, para a maioria.

Uns poucos acertam a veia, é verdade, mas a maioria perde tempo e energia focando em algo que, como o Caio disse – e que já me incomodava há tempos – não é sólido, você não tá construindo uma estrutura, um negócio, fica na mão de agentes externos e do nada pode quebrar por decisões de terceiros. O tempo vai passar, como passou pra mim, chegando aos 40 e se questionando que b… que eu fiz da minha vida.

Afiliados mesmo, é pior… como eu disse, alguns afiliados acertam a veia, mas a maioria vai só perder tempo, quem ganha são os produtores. E mesmo assim, se for produto digital, por pouco tempo, porque o ciclo de vida de produtos digitais é curtíssimo. Dependendo o nicho, você tem que ficar fazendo promessas mentirosas, utilizando de “gatilhos mentais”, de falsos lançamentos, como se as “vagas” estivessem esgotadas pra gerar sensação de escassez nos troux… digo, compradores (quando por ser digital o número de vagas pra um curso é ilimitado).

Sinceramente, boa parte do marketing digital voltado pra infoprodutos é baseado em mentiras e manipulação da mente das pessoas através de técnicas psicológicas, chamadas no segmento de “gatilhos mentais”, por isso não consegui vingar, é complicado mentir para as pessoas pra arrancar dinheiro delas. Quer ver então no mercado de capsulas de suplementosSenhor, quando o inmetro bater vai ter nego sendo preso.

No segmento de Afiliados ou Dropshipping você fica na mão de terceiros em muitas frentes: produtor/fabricante que mudam as coisas o tempo todo; intermediários como mercado livre, amazon e outros marketplaces que também vivem mudando a exibição dos seus produtos, e também na mão das plataformas de anúncio que vivem bloqueando contas e sugando seus lucros em anúncios caríssimos e muito pouco efetivos.

É como se estivesse sobre areia movediça, você não consegue se estabilizar, muito menos construir uma estrutura de negócio.

Aí vem a pergunta que me faço desde que meu auge com o Adsense se implodiu:

Vale a pena apostar a vida em algo tão instável e inconstante?

 

Marketing Digital é Pirâmide?

Essa é uma pergunta muito comum dos mais desconfiados.

Na verdade MD não é necessariamente uma pirâmide no sentido original do termo.

O que acontece é que o nicho de “ganhar dinheiro” com Marketing Digital se assemelha sim a uma pirâmide. Porque ele depende sempre de novas pessoas comprando cursos sobre ganhar dinheiro de forma fácil, online, sem sair de casa. Muitas compram o curso, mentorias, consultorias, mas não têm produtos. Aí o que fazem? Acabam criando outros cursos com as mesmas promessas: como ganhar dinheiro de forma fácil, online, sem sair de casa, e não vingam, ou seja, contribuíram pra sustentar o topo da pirâmide.

E como vivemos num país pobre, de gente desesperada pra subir na vida, sempre haverá novos trouxas para sustentar a pirâmide.

Quando você compra um curso de Marketing Digital para aprender a vender um produto de fora desse nicho, certamente vai ajudá-lo. Mas se você compra esse curso e decide fazer um curso sobre ganhar dinheiro com Marketing Digital, sem ter um produto, então você entrou pra pirâmide.

 

Não é Pirâmide, mas é um Cassino

Tráfego Pago

Dentro desse esquema todo, tem a particularidade do tráfego pago.

Eu entrei no ramo querendo me especializar em tráfego pago, isto é, pagar para anunciar produtos nas redes sociais, para assim, vendê-los. Não cheguei a perder dinheiro, depois de um ano, as poucas vendas que consegui empataram o dinheiro que botei na compra de cursos e tráfego pago.

Mas no final das contas, vi que não compensa tanto quanto alardam (pois alardam justamente para vender cursos sobre tráfego pago).

O que acontece é que o custo por clique no mercado brasileiro é caríssimo. Em certas circunstâncias esse custo é baixo, mas quase sempre você paga mais de um Real por clique. O anúncio de certos produtos no Google Ads é de 2 reais, 3 e até mais; sem garantia de que vai vender, é apenas um anúncio. Presumindo um custo de 1 real por clique, se a taxa de conversão é de 1~2%, isso significa que você vai pagar cerca de 50 a 100 reais (ou muito mais) até ter UMA conversão, isto é, uma venda. Então a comissão / lucro desse produto tem que ser no mínimo o dobro desse valor. E sem garantia nenhuma sobre esses números. Já me aconteceu muito de anunciar, anunciar e o dinheiro indo pelo ralo e nada de vender.

E nesse sentido, digo com todas as letras, que Marketing Digital para Afiliados usando tráfego pago se assemelha muito a um Cassino.

Você bota dinheiro lá (e não é pouco) e você pode fazer o melhor dos anúncios. Se tiver sorte, vai vender bem… mas as chances são sempre contra o jogador e a favor do cassino (no caso, Facebook Ads e Google Ads) de forma que a tendência é que você, o anunciante (ou jogador) saia perdendo no final.

É simplesmente inviável, e no médio prazo se torna até nojento lidar com um negócio tão aleatório, nebuloso e imprevisível assim, no qual você não consegue regularidade nas vendas e não tem a menor projeção média de um lucro. Não há previsibilidade, você precisa ter MUITO dinheiro pra queimar até encontrar um padrão que eventualmente vá retornar lucros. Diferente de um Uber por exemplo, no qual já tive experiência, e você consegue chegar, por exemplo, numa estimativa de que a cada 50 reais de gasolina voltam 150, e descontando o gasto, são 100 de lucro. É pouco? É. Mas você tem ideia do que está fazendo, e se sente bem menos trouxa.

No marketing de afiliados, você bota 50 e nem Deus sabe o que vai acontecer.

É ou não é um cassino?