Bonzinho? Nunca mais!

Eu estou lendo o livro No More Mr. Nice Guy, que em bom português quer dizer algo como Bonzinho, nunca mais.

É o típico (mas raro) livro que muda vidas. De fato está transformando o modo como eu enxergo as relações entre as pessoas.

No More Nice Guy é um livro voltado para homens, muito embora mulheres que sofram também do mesmo mal ou convivam com homens desse tipo, possam com esta leitura ajudarem a si mesmas ou a seus parceiros.

O livro trata do que o autor Robert Glover chama de Síndrome do Bonzinho, isto é, uma abordagem terapêutica desenvolvida pelo psicólogo para atender homens que tem a característica de serem homens sempre acessíveis, sempre dispostos a agradar e se sacrificar pelos outros, colocando-se sempre em último lugar, também conhecidos em certos meios como o tipo bonzinho. Ou banana, ou pamonha.

As crenças do Cara Bonzinho

  • Se eu for um cara bom, então todos vão me amar e gostar de mim (e as pessoas que eu quero vão me querer).
  • Se eu preencher as necessidades das outras pessoas antes que elas me peçam, então elas também vão preencher minhas necessidades antes que eu peça.
  • Se eu fizer tudo certo, terei uma vida tranquila e livre de problemas.

Características do Cara Bonzinho

  • O bonzinho busca a aprovação dos outros.
  • Os bonzinhos tentam ocultar suas falhas e erros.
  • Os bonzinhos priorizam as necessidades dos outros em relação às suas.
  • Os bonzinhos sacrificam seu poder pessoal e costumam fazer o papel de vítima.
  • Os bonzinhos tendem a manter amizade mais com as mulheres, tendo poucos ou nenhum amigo homem, desconectando-se de sua energia masculina.
  • Os bonzinhos insistem em manter relacionamentos insatisfatórios.
  • Os bonzinhos tendem a ter uma péssima vida sexual, ou nenhuma.
  • Os bonzinhos frequentemente falham em viver suas vidas sobre seu pleno potencial.

É um livro que aponta a importância fundamental de deixarmos de ser o tipo bonzinho que evita conflitos e nunca diz não para agradar a todos na tentativa de obter certos benefícios que, na verdade, nunca vem.

O tipo bonzinho é na verdade um sujeito com demandas psicológicas mal resolvidas, quase sempre surgidas na infância. Por necessidade, desenvolvem estratégias de convivência que envolvem estar sempre acessíveis e prontos para atender as necessidades dos outros, especialmente mulheres, sempre evitando conflitos e procurando a paz, sempre sacrificando seus desejos e se colocando em última prioridade. Fazem essas coisas sob a intenção de terem suas demandas atendidas, mas raramente são atendidas (porque, né…) e eles não percebem que tais posturas não costumam lhes trazer o que querem e assim seguem a vida fazendo mais do mesmo sem obter o que esperam.

São, na verdade, homens problemáticos, e como tal, costumam atrair para si relacionamentos também problemáticos, marcados ou por parceiras também problemáticas, ou por parceiras indisponíveis.

Ou pelas duas.

Caras Bonzinhos terão uma agenda inconsciente conectada com necessitados ou pessoas indisponíveis, e com atividades imprecisas, não sendo claros e indiretos, afastando as pessoas, e sabotando-se.

Bom, você já deve ter ouvido aquela frase popular: “O bonzinho só se fode.” Pois bem, ele só se f*de porque usa de estratégias que não funcionam. Este livro que ora indico aponta tais estratégias de forma muito clara e sugere outras, mais funcionais, para que esses homens recuperem e valorizem sua própria masculinidade e possam, com isso, conseguir relacionamentos e uma vida mais equilibrada.

Não seja Bonzinho, pelamordedeus!

Há tempos eu trato dessa questão da pessoa boazinha, aqui neste site.

O que não significa que eu consiga colocá-la devidamente em prática.

Aqui estão alguns textos: 1234567891011.

Luiz Gasparetto é minha maior fonte de inspiração quanto a necessidade de se impôr mais diante dos outros, e mais abaixo trago uma citação dele sobre este exato tema.

Mas a mensagem deste livro me chamou a atenção pelo aspecto terapêutico dela, pela clareza com a qual o autor expõe as características e efeitos da personalidade boazinha, e principalmente, porque é um livro voltado a HOMENS.

Tanto homens quanto mulheres podem sofrer com esta personalidade boazinha, mas para os homens de fato é pior porque nós temos uma natureza masculina, ativa e enérgica que acaba sendo podada por uma sociedade que prega que os homens tem que ser suaves, educados e respeitosos (e que assim vão ser valorizados), mas que valoriza e premia os homens verdadeiramente ativos e dispostos a brigar pelos seus valores e ambições. Faça o que eu digo, não faça o que eu faço. Novidade…

Tempos difíceis criam homens fortes
Homens fortes criam tempos bons
Bons tempos criam homens fracos
Homens fracos criam tempos difíceis

Durante a leitura, eu me vi várias vezes meio depressivo, ao perceber o óbvio: Sempre fiz tudo ao contrário do que devia ser. Por isso, ora veja, as coisas tem sido tão travadas por aqui. Também me senti um tanto depressivo porque o que está no livro é exatamente o contrário do que continua sendo disseminado dia após dia sobre como os homens devem se comportar.

E isso é muito perigoso, até a nível de sociedade ocidental.

A versão em português

O livro No More Mr. Nice Guy na verdade não existe oficialmente na língua portuguesa. A versão que eu li foi traduzida por um abençoado anônimo. E portanto, há vários problemas e erros na tradução. Em vários momentos você vai ter que ler e reler os parágrafos no sentido de compreender melhor a mensagem que o autor quer passar. Mesmo assim é uma leitura que recomendo amplamente.

Você, homem que está com a vida maisomeno, tem obrigação de ler.

Faça o download.

Citações sobre a importância da auto-afirmação

Você não pode se incomodar com o incômodo alheio.

Ser bom – bonzinho – com os outros também não fará de você importante, tampouco o livrará do medo e da insegurança. O lindo dosotro nunca é feliz e está sempre levando na cara. Todo bonzinho é um desgraçado e nunca chega longe na vida. Porque ele se molda demais aos outros, se sacrifica demais pelo bem estar alheio, e começa a remoer aquilo com que não concorda. Ele nega o seu lado ruim, o lado da auto-defesa. O que a (parte) ruim (em você) quer fazer? Quando você é ruim, está defendendo a si mesmo. A nossa ruindade é uma força fundamental para fazer as coisas andarem. Se você assumir as forças da ruindade, seus caminhos se abrirão agora. JÁ! O que é meu é meu, o que é meu direito é meu direito. Quando assume a sua força e NÃO SE ACANHA, você CONSEGUE as coisas. Assuma seu lado guerreiro. Você não tem noção do bem que isso vai fazer para a sua alma. Luiz Gasparetto

É melhor pedir desculpas, do que pedir permissão. Ditado popular

Homens razoáveis se adaptam ao mundo. Homens não razoáveis adaptam o mundo a si. Por isso todo progresso depende destes últimos. George Bernard Shaw

Imagem