…e eu espero estar errado.

Ninguém nunca comentou isso, mas eu sempre acreditei que Aécio Neves perdeu a campanha de 2014 quando ergueu o dedo em riste para Dilma Rousseff, em um debate, humilhando-a com um argumento qualquer. O brasileiro médio desconhece dados técnicos de governo, mas é piedoso, vota de forma sentimental, votou na Dilma porque ela encarnava o tipo mãezona, e não se humilha jamais uma senhora, menos ainda uma mãe.

No último debate da Globo, Bolsonaro xingou Lula diretamente de mentiroso, entre outros adjetivos carinhosos. Enquanto Lula retribuía sorrindo.

Por mais que Lula seja mentiroso, ver alguém acusando outro dá uma sensação ruim, de embate, de conflito, e pessoas normais não gostam disso.

Lula tentava falsa e cinicamente passar uma mensagem amistosa de que chamaria Ciro Gomes numa tentativa de unir o país, e também foi atacado por Ciro, o qual teve o pior desempenho em todas as suas campanhas.

Com exceção de bolsonaristas e petistas, o brasileiro médio não gosta de briga; não gosta nem de política, quanto mais de político brigando.

Lula é falso, mas atua bem, se passa muito bem como um sujeito bonzinho.

E o povo, crédulo, acredita.

Hoje, Bolsonaro o xingou no twitter:

Não vai dar certo

Não vai dar certo

Não vai dar certo.

É uma péssima estratégia.

Ele é nordestino e representa mais ou menos 62% dos eleitores nordestinos que votaram nele, e sentem-se xingados igualmente.

Isso gera uma reação terrível.

Bolsonaro desde sempre teve uma PÉSSIMA comunicação. Só chegou ao poder por falta de opções melhores na campanha de 2018 ante o forte sentimento anti-PT que dominava a mídia na época.

Mas é uma pessoa que não se ajuda. Que não nos ajuda a ajudá-lo. Passou 4 anos dando munição pra inimigo.

E provavelmente vai perder esta eleição, por causa unicamente de si mesmo.

Não é Lula que vai ganhar.

É Bolsonaro que vai perder.

E junto, perde o Brasil essa chance incrível de ter sido tocado por 4 anos por um quadro ministerial técnico e realizador, em especial, pelo genial Paulo Guedes:

Inflação em 2022

Inflação em 2022

Atualização em 6/11/22

Os erros do Bolsonaro

Com se viu, acabei acertando a análise. Bolsonaro perdeu, não só pelo motivo alegado acima – o último debate entre os dois foi péssimo, um acusando o outro o tempo inteiro – como por uma soma de outros motivos.

E de longe, o mais grave deles foi a comunicação, pessoal e do governo.

Bolsonaro viveu a vida toda como Deputado, defendendo arduamente os princípios e valores de seus eleitores. Nesse debate político legislativo, é bem normal haver oposição, preferências e rejeições, falas duras contra ideias diferentes.

Então Bolsonaro se elegeu presidente…

…e continuou agindo como um Deputado. Governou para sua base, e não para o país inteiro. Um presidente jamais poderia ter se portado de forma tão parcial, atacando verbalmente qualquer que o questionasse, respondendo infantilmente a provocações, colecionando inimigos entre jornalistas, judiciário e sociedade em geral (Trump, que se portava de forma menos grosseira, cometeu o mesmo erro).

Quem quer se reeleger não pode fazer inimigos. Lição básica que nosso presidente não se atentou.

Sua hiperexposição nas mídias sociais gerou farta munição gratuita para seus inimigos, que redistribuíam cortes de suas falas infelizes, ludibriando eleitores leigos. Se tivesse ficado quieto, se tivesse se comunicado somente em eventos oficiais, de forma conciliatória, talvez tivesse sido reeleito.

Ou talvez não…

Às vezes eu me esqueço de uma observação basilar em relação à oposição ao Bolsonaro. Toda a oposição a ele no alto clero da política, do meio acadêmico, da classe artística e da imprensa, se resume nada menos do que abstinência desses grupos do acesso ao dinheiro público. Talvez mesmo que ele tivesse se comportado como um gentleman, ainda assim, teria ferrenha oposição.

E neste sentido, as falas infelizes do presidente nesses 4 anos só fizeram servir de munição para seus inimigos.

Acabou

Parte da direita brasileira, esta que seus rivais chamam de extrema-direita, defende valores que considero legítimos: Pátria, Família, Deus, Direito a auto-defesa, combate firme à criminalidade, liberdade econômica como única forma de geração de riqueza.

No entanto, esta direita atua com combatividade, beligerância, xingamentos e serviu de péssima garota propaganda para princípios tão importantes.

Eu lamento muito que tenha que ser assim. Pessoas adultas agindo de forma tão evidentemente equivocada.

Espero que tenham a auto-crítica que a esquerda costuma não ter, para corrigir as direções.

Mas temo sinceramente que não terão.