Enfim, como esquecer um grande amor?

Existem muitos textos na internet tentando ajudar as pessoas a esquecerem um grande amor.

Ele sempre estará lá

Ele sempre estará lá

São muitas sugestões, todas semelhantes, que visam fazer com que consigamos tocar a vida em frente sem o desgaste decorrente das lembranças e do apego a um relacionamento fracassado ou impossibilitado por circunstâncias mais fortes.

São sugestões para aceitarmos que nada na vida é permanente, para olharmos o futuro como um lugar onde estão outras e melhores chances, para procurarmos por novas amizades e atividades, para agir e buscar distração etc.

Mas existe uma grande verdade sobre esse tema – esquecer um amor – que ninguém fala, porque é óbvio e não é exatamente o que esperamos ouvir, dado o sofrimento que nos dilacera por dentro:

Não existe isso de esquecer um grande amor.

Se foi um grande amor, intenso e RECÍPROCO, você não vai esquecer.

O perdão é sinal de indiferença; o verdadeiro amor jamais perdoa. Carmen Sylva

Você só vai esquecer se foi um amor ilusórioenvolvido por uma intensa paixão, quase sempre partindo de um lado só. Você amava muito, e a outra pessoa apenas correspondia (porque é natural que nos deslumbremos ao nos percebermos sendo intensamente amados por alguém), mas no fim, essa pessoa não amava você.

Algo assim até se consegue esquecer. Será difícil e dolorido, claro, e mesmo assim não será de uma vez e sim, com o passar do tempo.

Agora, se houve um grande amor, partindo intensamente de ambas as partes, mas esse amor não se realizou por motivos de força maior, então lamento informar, mas ele não será esquecido, porque um amor assim simplesmente não deixa de existir.

Como esquecer o que continua existindo dentro de dois corações?

O que fazer então?

Você pode não gostar ou não concordar com o que eu vou dizer aqui.

Mas quando passamos pela experiência de um grande amor que não pôde ser vivido, não adianta querer esquecer.

O máximo que você vai conseguir, e que DEVE fazer, é continuar tocando sua vida. Continue dando atenção aos assuntos de seu trabalho, continue com sua família, continue saindo (sim) em todas as oportunidades, continue vivendo.

O seu amor vai ficar dentro de você, guardado. E sua lição é aprender a conviver com isso.

O tempo não cura tudo. Aliás, o tempo não cura nada. O tempo apenas tira o incurável do centro das atenções.

Sob esta postura, você sempre terá a escolha de manter contato (quando for possível, e nesta época de celulares e redes sociais, sempre é possível algum contato) ou de cortar relações como forma de evitar sofrimento, dado que o que o os olhos não lembram veem, o coração não sofre sente.

Encontrei este trecho num comentário de uma tal Maria nesta página, aqui corrigido e revisado:

Quando se encontrar o grande amor, viva-o com tudo que puder, peça perdão, perdoe, vá atras, se deixe ser amada(o), nunca deixe o orgulho falar mais alto que o amor. Amor e orgulho não combinam, ou será infeliz pra sempre…

Vai sempre te faltar parte da alma, as coisas do mundo parecem deslocadas, nada te faz feliz por completo , vai sempre te faltar alguma coisa, nada substitui o amor se não estiver com quem você ama, nada faz sentido, sua vida será constantemente em ebulição, nada fica no lugar, uma insatisfação constante, não se encontra, a não ser que estejam ambos nos braços de quem se ama.

Amar e ser amado é chave pro mundo parar ao seu redor, e a paz que tanto procuramos alcançar.

Quem ama, ama pra sempre, e não deixará nunca de amar.

Pode apenas sentir , não vivenciá-lo, mas vai amar para sempre.

Apesar de ainda acreditar que amor de verdade é amor real, amor vivido, amor de corpo e alma – mais corpo que alma – ultimamente venho concordando mais e mais com as palavras dela.

Sei que não é fácil e nem sei se eu mesmo conseguiria, mas o melhor será sempre estar perto, na medida do possível. A vida é curta demais para negarmos amor, só porque ele não vem como gostaríamos. Este é o amor incondicional. Aceitar as limitações da situação e inclusive, de quem se ama, é manifestar esse amor em sua plenitude. Mas se você preferir se afastar e cortar o contato para evitar o sofrimento, é compreensível, justo e digno.

Estranha sina

Na mesma página também encontrei este comentário:

Vocês conhecem a história de Romeu e Julieta? Observem que é um amor verdadeiro, daqueles que faz surgir algo muito forte dentro da gente só em ver a pessoa. É como se causasse um reboliço no corpo, nos sentidos e na alma. Mas um amor verdadeiro nunca faz com que os casais fiquem juntos, há sempre algo que impede esse acontecimento como na história de Romeu e Julieta. As pessoas se juntam ou se casam com aquelas que por força da razão e de um simples gostar permitem elas ficarem juntas. Mas aquelas pessoas por quem se sente amor de verdade nunca ficam juntos […]

Não é um comentário muito conclusivo, mas faz algum sentido. Muitos casamentos acontecem mais por conveniência do que por convicção.

Para fins de conclusão sobre um assunto inconclusivo, finalizo dizendo que uma circunstância infeliz como esta exige humildade e aceitação, compreensão e entendimento, paciência e persistência. E por fim, amor, por amor.

Texto de 14 de outubro de 2014.