Esta é mais uma dessas frases supostamente “sábias”, mas que dão margem a certos entendimentos que inclusive contradizem o paralelo inicial.

Ela compara relacionamentos a barcos, e conclui que se você não sabe remar, barco algum lhe trará o benefício esperado.

Mas veja bem… há barcos e barcos. Há canoas, lanchas, iates e transatlânticos.

De fato, se você só sabe (ou mal sabe) remar em uma canoa, não adianta querer um iate, se não souber pilotá-lo.

E é muitas vezes esta, a postura que adotamos. Ficamos insatisfeitos com nossa canoinha, ficamos olhando para os iates do lado, mas de que adianta, se não sabemos conduzir nem um, e menos ainda o outro?

A verdade é que todos queremos um iate para chamar de seu, se é que você me entende.

E desejar não é proibido, mas que se saiba que conduzir um iate exige preparo.

Muito preparo.

***

Curiosamente, já publiquei imagem semelhante aqui e havia esquecido.