A verdade sobre o aquecimento global

Aquecimento global

Aquecimento global

Você já percebeu que essa questão de mudanças climáticas, aquecimento global, etc, se tornou questão de crença? Ou você acredita ou não acredita!? O fato é que o clima da terra sempre esteve longe do controle do homem e sempre estará. O homem mal consegue prever se vai chover semana que vem, e quer palpitar no clima GLOBAL para 2050. Que pretensão, hein?

Se você fica chateado, como eu ficava, em saber que a temperatura do planeta está mudando, fique frio. Isso tudo que ocorre agora no encontro de Copenhagen não passa de política econômica.

Segundo estudos da paleoclimatologia, sabe-se que a temperatura da terra já esteve por vezes mais quente do que está hoje e isso é absolutamente normal. A porcentagem do CO2 (Dióxido de Carbono) na atmosfera é irisória diante dos outros gases – 0,4%. Confira no gráfico abaixo. A porcentagem é “tão pequena” que nem aparece. Pra você ver a grandiosidade da atmosfera, e também do planeta, comparada a nossa reduzida visão e pretensa intenção de “salvá-lo”.

Composição atmosférica: Cadê o CO2 ?!

Composição atmosférica: Cadê o CO2 ?!

Fonte: Atmosfera terrestre na Wikipedia.

Uma observação válida a respeito do gráfico acima é que mesmo o OXIGÊNIO, tão poeticamente considerado como o gás da vida, perfaz apenas 21% do ar que respiramos. Você sabia que respira muito mais NITROGÊNIO do que oxigênio? Lembro que aprendi isso no tempo da escola, mas tenho certeza que a maioria das pessoas ouve tanto sobre o oxigênio e sobre o dióxido de carbono (gás carbônico) que vive pensando que só existem esses dois gases na atmosfera. Pois bem, tá aí o efeito que ocorre quando informações incompletas se juntam ao povo desatento.

Toda essa conversa apocalíptica a respeito das catástrofes climáticas são apenas isso, conversas apocalípticas. As catástrofes existem, (lembrando que não, tsunamis não tem nada a ver com excesso de CO2 na atmosfera) as vemos a cada passo, entretanto, decorrem de consequências naturais. Os dois únicos fatores que influenciam a temperatura global são o SOL, com seus ciclos cuja proporção de tempo é secular, e o oceano pacífico que cobre praticamente um hemisfério inteiro da superfície terrestre, cuja mudança de temperatura também é cíclica e leva déééécadas pra mudar. Ou seja, são dois fatores absolutamente incontroláveis.

Oceano Pacífico

Oceano Pacífico

E porque existe essa conversa toda a respeito do aquecimento global? Interesses econômicos, como não poderia deixar de ser! Tudo começou com problemas de poluição na Londres do século 18. Quando um doido afirmou que se as emissões industriais da época dobrassem, a temperatura aumentaria de 6 a 8 graus. (Ou seja, essa conversa é antiga). Depois com a crise do petróleo da década de 70, A primeira ministra britânica Margareth Thatcher, junto a outros líderes ocidentais viu-se obrigada a começar a pensar numa alternativa aos combustíveis fósseis como fonte de energia, para não ficarem vulneráveis ao petróleo árabe. Atualmente, diz-se no meio científico que se você quiser garantir financiamento para suas pesquisas, basta tematizá-la em relação às consequências para o aquecimento global. Então me responda, qual é o cientísta que vai negá-lo? Dinheiro, dinheiro, dinheiro… Que mundo, hein?

Tem um pouco – ou muito – de ideologia nisso tudo também. Depois do fim da guerra fria e do comunismo, as pessoas ficaram sem ter pelo que lutar. Mas… óh, o planeta vai se auto-destruir em algumas décadas se não pararmos de poluí-lo. Pronto, eis uma grande causa para lutar. Entretanto a coisa assumiu proporções assustadoras. As pessoas vão para as ruas exigirem mudanças com base em informações duvidosas. Por exemplo, quando se diz que tal país emite 25% do gás carbônico emitido no mundo todo, ou quando se diz qualquer coisa nesse sentido, como ouvimos na imprensa a cada dia, como os bilhões de toneladas de carbono emitidas, etc. Ninguém questiona os métodos com os quais se chegou a esses números. Ok, como isso é medido, quem mede, que método é usado, que princípio científico foi usado para a medição, quem é o responsável pela medição, a informação tem credibilidade, etc. Alguém sabe todas essas informações? Hum… A mídia vai jogando esses números no ar e o povo vai acreditando e vendo o fim cada vez mais próximo.

Enfim. É consenso que a temperatura do planeta aumentou nas últimas décadas. O que não é consenso é o fato de ser o CO2 o responsável por esse aumento. Qualquer climatologista isento e bem informado sabe disso. O problema é que a preservação ambiental se tornou uma ideologia e de ideologia está se tornando política. Em se tornando política, uma idéia inicialmente salutar se torna fantoche dentro de jogos de interesse. A partir de então, não se pode confiar em mais nada. Qualquer informação que fortaleça a idéia, é alardeada aos quatro ventos. Qualquer informação que a enfraqueça, é omitida, modificada, ou mesmo, ignorada. Cientistas que questionam os métodos que levam à afirmação da influência do CO2 no clima global são acusados de serem apoiados pelo lobby do petróleo. O interesse dos poderosos é mais importante do que a verdade científica, e como todo poder não conhece escrúpulo, bom, você sabe…

Preservar é preciso!

Como já comentei em outros artigos, penso que a preservação ambiental é sim uma ação digna, correta e necessária em qualquer sentido. De forma prática, penso que mesmo que o CO2 seja o bode expiatório para o jogo de interesse dos poderosos, vale a pena só pelo fato de todo o mundo estar se tornando mais consciente de sua ação no mundo. De qualquer forma, emissões demasiadas são também problema de saúde pública em regiões de grande concentração urbana. Nesse sentido, a redução das emissões é inquestionável e até mesmo, urgente. Enfim, só por o Meio Ambiente se tornar pauta da agenda global nos traz a sensação de que finalmente o ser humano vai cair na real. Até porque a preservação ambiental não se tornaria importante se não fosse de alguma forma incorporada pela economia como fonte de lucros.

Desenvolvimento sustentável não é só uma expressão chique e bonita. É um conceito de justiça. Justiça para com a vida e este planeta. A Terra não é só nossa casa. É uma obra de arte do universo, até o momento sem nada igual ter sido encontrado, portanto devemos sim, preservá-lo de toda forma possível. Quanto menos o homem mexer, melhor. Só não acho legal essa sensação de que tudo está indo pro brejo que a mídia nos passa dia após dia com base em informações duvidosas e sem uma comprovação científica séria.

Todo esse meu ponto de vista, adquiri assistindo a esse documentário.

O climatologista brasileiro Luiz Carlos Molión, autoridade no assunto, também pensa assim. Aqui tem uma ótima entrevista com ele.