Crônicas do trânsito

Estou sempre pegando a BR 101 entre Itajaí e Itapema, no litoral catarinense.

Já vi cenas muito inusitadas e algumas merecem um registro aqui.

Túnel

No trajeto para Itajaí, há um túnel. Deve ter algo em torno de um quilômetro e meio de extensão. Mas é apenas um túnel, sem qualquer obstáculo, com um ótimo asfalto fora e dentro dele.

Porém os motoristas têm um certo receio de entrar no túnel e mesmo na pista da esquerda, que é uma pista rápida, eles FREIAM para entrar no túnel.

Está certo, não? Vai ver há um dragão lá dentro ávido por exterminar os intrusos que ousam adentrar ao seu recinto. É preciso cuidado.

O que não é compreensível é que os motoristas também freiam NA SAÍDA do túnel. Cara, a BR continua, ela não vai acabar.

Será que ficam com receio de que haja um abismo logo após o fim do túnel e freiam para terem certeza de que esse abismo foi só um devaneio e constatarem que, graças a Deus, a pista segue adiante?

Mantenha distância

A pista na BR 101 é dupla. Duas vias para ir, outras duas para voltar.

Um pouco antes do túnel, há um outdoor digital dando conselhos de boa direção aos motoristas. Um desses conselhos é de manterem a distância defensiva, isto é, uma distância prudente entre o próprio carro e o veículo que segue à frente.

Outro dia eu vinha, muito tranquilamente, sem pressa, na pista da direita. Logo antes desse outdoor, uma fila de carros vinha se aproximando rapidamente na fila da esquerda, e vinham me ultrapassando. Ao se aproximarem do outdoor, que aconselhava a distância defensiva, O PRIMEIRO CARRO da fila (que não tinha ninguém a sua frente) FREIOU, atrapalhando o ritmo de todos que vinham atrás dele e que, claro estavam muito próximos entre si.

Está certo ele. Quis manter uma distância segura do carro invisível que estava logo à sua frente e com isso, demonstrou na prática aos motoristas que vinham atrás dele a importância de se manter uma distância prudente dos veículos que seguem à frente.

 Schadenfreude no trânsito

Todo cuidado é pouco

Todo cuidado é pouco

Há um certo tempo, ri muito (típico schadenfreude) de um fulaninho no trânsito, nesta mesma BR 101. Não que o episódio nunca tenha acontecido comigo, mas ver acontecer com os outros é sempre mais engraçado :)

Seguia eu pela pista da esquerda, a uma boa distância do veículo da frente, acompanhando a fila que seguia ultrapassando os caminhões, sem muita pressa. Então surgiu atrás de mim um gol vermelho todo agoniadinho, querendo passar.

Eu, que tenho me esforçado pra evitar situações perigosas, e que já tive muita sorte nessas estradas, dei passagem e lá se mandou o golzinho apressadamente pela esquerda. Porém ao se aproximar pra ultrapassar um caminhão que seguia a nossa frente na pista da direita, o mesmo caminhão avançou inesperadamente para a esquerda, sem dar sinal, fechando o gol vermelho, o qual quase bateu na divisão de concreto no meio da pista.

Aconteceu o óbvio. O motorista do gol (muito provavelmente pálido do susto) perdeu a pressa instantaneamente, se posicionou na pista da direita e seguiu sua viagem calmamente, como se estivesse passeando de férias. Até botou o braço pra fora do carro pra sentir o vento.

Como é lindo ver o resultado dessa pressa estúpida e perigosa que toma conta de nós no trânsito :(

Nada como um susto pra fazer o indivíduo acordar e perceber as besteiras que está fazendo.

A vida é expert nisso.