É preciso dar o primeiro passo

É preciso dar o primeiro passo

Muitas vezes na vida, quando as coisas não vão bem, ou mesmo quando vão bem… vagarosamente, começamos a nos perguntar o que está errado conosco. Não tem jeito, só “acordamos” e “pensamos” em melhorar as coisas quando algo vai mal. Quando tudo vai às mil maravilhas, nos acomodamos, “adormecemos” e seguimos no piloto automático.

Quando as coisas vão mal, não é raro apelarmos para os livros de auto-ajuda. Geralmente não resolvem porque os livros de auto-ajuda de forma geral são escritos por quem mal consegue se resolver, e quando dá um saltinho de qualidade na vida, menos por competência do que por tentativa e erro, já acha que deve “compartilhar” suas experiências com os outros, para que não repitam os mesmos erros. ( É uma vontade de ajudar o$ outro$ ) Sem contar que vontade de compartilhar experiências não significa necessariamente talento para escrita.

Bom, estou sendo maldoso. Em relação aos livros de auto-ajuda (clique e veja dicas de alguns), evidentemente tem as exceções. Há livros muuuito bons sim, mas são poucos, e via de regra, os mais antigos. Os livros atuais são quase sempre releituras dos clássicos. Portanto, fique atento, principalmente quando o assunto for liderança. Livros que nos ajudam a compreender melhor a vida e termos uma vida pessoal mais equilibrada, vá lá, é muito válido. Agora livros que te prometem se tornar um LÍDER, é de se duvidar, hein? Liderança é uma qualidade inata, fundamentada num carisma autêntico, que eventualmente se desenvolve. Agora se você sempre foi um mané e quer se tornar líder de sua equipe de trabalho, olha, reveja seus conceitos. Vejo como enorme pretensão alguém querer se tornar líder. Líder é uma palavra muito forte cuja qualidade intrínseca pertence a poucos. Se você não tem essa qualidade, poderia, com humildade e “semancol“, almejar ser um ótimo “gerente”, ou “chefe”, ou “diretor”, ou qualquer cargo de chefia. Isso tenho certeza que qualquer um pode tornar-se.

Dentre esses livros de auto-ajuda muito bons, posso citar Os Segredos da Mente Milionária. Muito embora o tema seja dinheiro, aqui também cabe uma ressalva – Querer ser um milionário é o mesmo que, como falei acima, querer ser um líder. É uma pretensão que exige talentos inatos. É um patamar de auto-desenvolvimento ousado que poucos conseguem, e já deixei claro, em minhas resenhas sobre livros de educação financeira, que ser milionário não é bem a minha meta. Tenho senso de realidade. Agora querer uma vida financeira equilibrada é mais do que natural e perfeitamente “acessível” a qualquer indivíduo comprometido. Enfim…

Eu crio minha própria vida

No livro citado, o autor destaca o que definiu como 17 arquivos de riqueza, os quais seriam algo como hábitos ou atitudes, ou ainda reações mais comuns adotadas pelos que passaram dos 7 dígitos no saldo da conta bancária. Todos os “arquivos de riqueza” são muito reais, muito compreensíveis e fazem todo o sentido. Mas aquele que realmente mudou a minha vida e creio que poderia mudar a vida de qualquer um, em todos os sentidos, não só financeiro como também pessoal, é justamente o primeiro “arquivo de riqueza” sugerido no livro.

Segundo o próprio autor:

As pessoas ricas acreditam na seguinte idéia:

“Eu crio a minha própria vida.”

As pessoas de mentalidade pobre acreditam na seguinte idéia:

“Na minha vida, as coisas acontecem.”

Enfatizo: Quando o autor diz “mentalidade pobre”, eu aqui não entendo necessariamente como a pessoa pobre financeiramente. Mas a pessoa pobre de espírito, que podemos ser todos nós. Eu era muito assim. Esperava as coisas caírem do céu. Influência (literalmente) religiosa. Mas não vou pôr a culpa em religiões. Elas oferecem suas verdades, e nós as interpretamos de acordo com nossas predisposições e conveniência. Então volta e meia, eu ouvia alguém dizer que era melhor largar as coisas nas mãos de Deus e eu, preguiçoso e desmotivado, concluía: Beleza!!!

E a vida, que não nos oferece um manual de instruções, também nos confunde. Não raras vezes tomava certas atitudes e só me dava mal. Então eu ficava ainda mais indeciso. Como eu tinha forte convicção de que tudo era predefinido por Deus, qualquer “obstaculozinho” me fazia questionar: “Mas será que não é um sinal divino me mostrando que estou no caminho errado?”

Quanta dificuldade! ;)

Porém há não muito tempo, me ocorreu que a Oração da Serenidade é esplêndida nesse sentido:

Concedei-me, Senhor
A serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar;
Coragem para modificar aquelas que posso;
e Sabedoria para conhecer a diferença entre elas.

Então, se você está diante de um obstáculo muito grande, entender e aceitar que transpô-lo é praticamente impossível, certamente acalmará seu espírito. Contudo, deve sempre ter em mente que é somente através da ação e do trabalho constante que temos “alguma” chance de mudar e melhorar nossa realidade. E que ela não vai mudar por conta, ou só com a força do pensamento. Esperar que as coisas mudem sozinhas, ou que as pessoas adivinhem suas ânsias, pode fazer com que se perca muito tempo, ou ainda, a vida toda.

E o medo?

O próprio livro Segredos da Mente Milionária possui um outro “arquivo de riqueza” que fala sobre o medo. E também aqui posso puxar um link para outro livro – A Mágica de Pensar Grande – que faz parte das exceções comentadas acima, que bate muito na tecla do medo e como podemos vencê-lo.

Isso mesmo, VENCÊ-LO, mas jamais eliminá-lo. Os dois autores convergem no sentido de que A ÚNICA FORMA DE VENCER O MEDO É AGINDO e tomando a exata atitude que nos amedronta.

Falar é fácil, hein?

Difícil é fazer, você deve estar pensando.

Pois bem, é o PREÇO da liberdade. Sempre temos duas escolhas, enfrentar nossos medos e trabalhar pelo melhor…

…ou continuar como estamos.

Texto de 14 de janeiro de 2010.