Não sei exatamente como é em outros países, mas sabemos que no Brasil há um hiper-estímulo aos jovens para “estudarem”. São comuns as seguintes frases dirigidas a eles: Fazer faculdade, ser “doutor”, passar em concurso público… para passar o resto da vida trancado numa sala exercendo tarefas burocráticas ou intelectuais, fazer umas viagens padrão pelo mundo, pôr a foto com a Torre Eiffel de fundo no perfil do FB e esperar a morte chegar.

Mas ultimamente, tenho visto uns vídeos de “motivação” em inglês, principalmente do canal VideoAdvice, com o intuito de treinar a audição de inglês, uma vez que as falas dos vídeos são ritmadas, e venho percebendo, que o tema de motivação NUNCA tem como exemplo ficar trancado numa sala, diante de uma tela de computador, exercendo atividades “intelectuais”.

Ao contrário, as cenas dos vídeos estimulam a superar seus limites físicos e seus talentos “3D”. Cenas de pessoas correndo, nadando, fazendo trilha, velejando, esquiando, escalando, saltando de para-quedas, pilotando aviões, carros, motos, dançando, atuando ou cantando em palcos são as mais comuns.

De fato, a vida acontece porta afora. Trabalho há mais de dezesseis anos diante de uma tela de computador desenvolvendo sites para a web. Há dois anos iniciei um projeto de transformar um imóvel comercial em habitações para moradia de aluguel, e paralelamente tenho dirigido como parceiro Uber.

O fato é que tenho muito mais histórias pra contar desses dois últimos anos, do que os 14 anos anteriores que passei trancado no meu escritório diante do computador.