Minha casa, minha dívida

Se você chegou aqui, com esta questão – se vale a pena comprar casa geminada – então você já sabe a resposta.

Você está apenas procurando confirmar sua dúvida natural.

A resposta é não, não vale a pena. Se você puder, espere um pouco mais e compre uma casa em terreno inteiro.

Boa parte de nós, principalmente nos arredores dos grandes centros e nas cidades medianas, nos criamos em casas de terreno inteiro, às vezes casas de madeira, como eram as casas dos meus tios e avós, até que puderam fazer suas casas de alvenaria.

Então nós já sabemos que uma casa de verdade é aquela casa arejada na qual você pode dar uma volta nela ou que, na pior das hipóteses, tem cômodos com espaço interno decente, e um bom quintal ou varanda na frente ou atrás da casa que lhe permite respirar um ar externo com alguma privacidade.

Uma casa geminada na verdade não é uma casa, e sim, um apartamento térreo. Os otimistas dizem que a casa geminada une as vantagens do apartamento com as vantagens de uma casa. O que eles não dizem é que tudo que visa sair mais barato, assim sai porque não é tão bom quanto o que sai caro. Ora, a verdade é que a casa geminada une as desvantagens do apartamento com as desvantagens da casa. Eu moro há cinco anos em uma “casa geminada” dessas e eventualmente me sinto um tanto arrependido de ter adquirido este tipo de imóvel.

O que me conforma sobre essa questão é que ao menos meu imóvel fica a 1,5 km de uma das praias mais famosas de SC – Itapema. E também me conforma que tive a inacreditável sorte de ter dois vizinhos bastante discretos como co-habitantes dos 3 geminados. Na verdade acho que sou o mais barulhento dos três.

Fora isso, há vários aspectos desta situação que me incomodam bastante e que são muito pertinentes ao padrão específico do imóvel que adquiri e que não necessariamente serão encontrados em geminados de padrões melhores.

O meu geminado tinha exatos 46 m2 quando adquiri; a metragem mínima para a Caixa financiar algo. O espaço interno dos quartos são, portanto, minúsculos, mal consigo me vestir dentro do meu quarto (sério). E a sala é muito estreita, onde não dá pra colocar sofás em L. Tenho um único sofá e duas poltronas a frente dele, de forma que sobra um corredorzinho entre eles para as pessoas passarem pela sala. Mesinha de centro é um item que não me pertence; nem criados-mudo ao lado da cama, e estes, especificamente, me fazem muita falta pra pôr celular, livros ao dormir e outros itens.

Depois de um ano eu fechei a área externa da lavanderia, perfazendo na casa 50 m2, tornando-a assim menos minúscula. Cinquenta metros quadrados, pra muita gente pode ser suficiente, mas para pessoas mais espaçosas, é pequeno demais; especialmente no meu caso em que trabalho em casa.

Qualidade

A qualidade das obras atualmente é péssima. Em uma casa nova (qualquer casa) não se passam dois anos sem surgirem uma série de problemas; e as paredes já surgirem com sinais de envelhecimento como se já tivessem 10 anos de existência, devido à péssima qualidade das tintas de hoje. Tudo, em termos de material de construção com preços médios ou “baratos”, é de péssima qualidade, atualmente. Se você quiser construir uma casa TOP, e durável, terá que gastar muito dinheiro. E como ninguém tem dinheiro, faz como dá e depois se incomoda sem parar com as manutenções frequentes.

A qualidade da obra deste meu imóvel é, portanto, péssima, e como alguém que não sabe fazer compras direito, muito menos de imóveis, não percebi tais detalhes:

  • As portas tinham fechaduras chumbregas das mais baratas que o construtor encontrou e não fechavam direito; tive que fazer ajuste em todas elas.
  • O piso da casa cedeu cerca de 1 cm em alguns pontos, o que está fazendo as paredes racharem.
  • A cerâmica no banheiro foi colocada até 1,5 metro na parede, dali pra cima ainda está no reboco pintado, o que é ridículo.
  • A área do box do banheiro, EVIDENTEMENTE, possuía a queda da água que cai do chuveiro para o lado oposto do ralo. Acho que os pedreiros fazem isso de zoeira, só pode, porque praticamente todos com quem eu converso sobre isso, tem uma história de queda invertida pra contar. Esse problema foi corrigido assim que expandi o espaço da lavanderia.
  • A água da lavanderia não tem um registro então sempre que preciso fazer manutenção na torneira do tanque ou na entrada da Máquina de Lavar, é aquele aguaceiro desgraçado por tudo.
  • O muro externo está rachado grosseiramente bem ao meio e um dos extremos desse muro cedeu e está desmoronando.
  • A fossa não comportava nosso uso e vazava pela calçada para a rua, até que tive que fazer uma ligação desse excesso de “água” até a tubulação da rua.
  • Não há um espaço adequado para fazer uma churrasqueira, o que até hoje não tenho e passo vergonha quando recebo visitas. Improviso uma churrasqueira com pedras, igual meu pai fazia há 30 anos atrás, e às vezes o sol é quente demais, às vezes a fumaça invade a casa, às vezes chove, às vezes anoitece e não há iluminação… um horror.
  • Nem mesmo uma varanda externa decente nós temos, há um espaço de 2 metro em volta da nossa casa, que é a da esquina do terreno, mas o que se faz em termos de Varanda num espaço linear de 2 metros cercados de vizinhos? Até hoje não consegui imaginar…

Se você for comprar um geminado, olhe esses itens acima pelo menos, e não dê um centavo ao corretor se não estiverem todos resolvidos, e BEM resolvidos.

Minha Casa, Minha Dívida

Tudo isso ainda tendo mais 25 anos pra pagar, e um valor alto, uma vez que minha renda durante a aquisição era um pouco mais alta e eu não conseguia provar que ganhava menos, já que minha renda vinha do Google Adsense, o que me colocou numa faixa de juros mais alta. É o que eu chamo de sorte no azar…

Aqui vale um destaque para o aspecto do financiamento. Só fiz porque eu precisava e porque eu não sabia como seria. As parcelas do meu financiamento estão em torno de 857 reais por mês. Mas desses 857, apenas 300 abatem mês a mês o saldo devedor. Todo o resto – 557 reais – são juros que o banco cobra adiantado de você. Dizem que as prestações da Minha Casa Minha Vida vão se reduzindo gradualmente ao longo do período do financiamento, mas o que vai se reduzindo de fato são os juros cobrados.

Se sujeitar a um banco é algo degradante, especialmente se este banco for a Caixa. Hoje sinto verdadeira repugnância pela Caixa Econômica. Não gosto do estilo do banco, não gosto do estilo dos caixas eletrônicos, não gosto do internet banking deles, nada, só vou lá porque preciso. Um dia ainda quero ter o PRAZER de encerrar minha conta lá – que eles obrigam a gente a criar para poder financiar e assim deixar mais uns 15 reais por mês para eles de “manutenção de conta” – enfim, quero ter o prazer de sair de lá totalmente desvinculado deste verdadeiro extorsionário do povo.

Dizem que o minha casa minha vida é um programa assistencial, mas só se for assistencial dos dirigentes da Caixa, porque em relação ao povo, é degradante, já que todo mês você relembra o quanto foi trouxa por cair nessa; você se torna a pessoa que banca os juros, logo você, que presumivelmente era a camada pobre da população a qual o PT queria ajudar a conseguir moradia…

Sei…

(Des)padronização

Na cidade de Camboriú, a qual se tornou uma grande vila residencial do pessoal que trabalha em Balneário Camboriú, há muitos e muitos loteamentos recentes, onde foram construídos centenas de geminados. Uns poucos são bem conservados, mas um tantos são a visão do horror. Outro dia, ao deixar um passageiro via Uber num desses bairros, me chamou a atenção um conjunto geminado específico enquanto voltava embora. Havia um conjunto com umas 8 casas geminadas, lado a lado. À frente de cada uma havia um espacinho de garagem, e cada morador o “personalizava” conforme seu estilo. Um estava totalmente vazio e limpo, outro cheio de flores na beira do muro, outro cheio de cocô de cachorro, outro cheio de tranqueiras jogadas, outro fez um deck para proteger seu carro, outro pintou a fachada com outra cor para além do padrão geral do imóvel, outro ainda vazio, abandonado, com a placa “vende-se” na janela…

Resultado, um horror arquitetônico.

Nem tudo é um horror

É claro que há geminados, em bairros mais nobres, que são mais bonitos e organizados, quase sempre com apenas duas casas geminadas num terreno, em estilo sobrado. Assim consegue-se mais espaço interno, uma certa padronização em relação à fachada do imóvel (que para mim, é importante) e consegue-se, por fim, morar “numa casa” em uma área nobre a um preço mais acessível (uma vez que o valor do terreno acaba sendo dividido ao meio).

Conclusão: Este é mais ou menos um desabafo que vem com uns 4 anos de atraso, uma vez que já estou há 5 anos nesta casa, mas que só fui percebendo esses problemas todos e a bucha que peguei na mão com o decorrer dos primeiros meses.

É preciso todo cuidado e precaução – e muita calma durante a aquisição – de geminados, especialmente se forem de baixo valor. O barato sai caro, já dizem os antigos. A verdade é que, se você tiver alguma possibilidade de comprar um terreno inteiro pra você, nem que tenha que esperar um pouco, não desista, esta é, sem a menor dúvida, a melhor decisão que você pode tomar.