Praia Brava - Itajaí

Praia Brava – Itajaí

Hoje vou fugir um pouco do tópico deste site. É que eu moro num lugarzinho singular e este clima ameno de outono me incita a falar um pouco sobre este lugar. É a Praia Brava e a Praia dos Amores, situadas entre as cidades de Itajaí e Balneário Camboriú no litoral norte catarinense.

Como bairrista que sou, tenho por este lugar grande estima. Se fosse para sair daqui, somente se fosse para Florianópolis, capital deste maravilhoso Estado de Santa Catarina, com destinos incríveis. Não sou viajado mas meu instinto me diz que lugar melhor que este, para as minhas necessidades de vida, está pra lá de bom. Até porque morando-se onde meio Brasil tira as férias de fim de ano, vejo menos motivo ainda para sair daqui. Se não fosse bom, tanta gente não viria para cá.

A Praia Brava nunca recebeu muita atenção do poder público local. Pertence politicamente a Itajaí. Sendo esta uma cidade portuária muito bem sucedida nesse quesito, tem como última prioridade o desenvolvimento turístico se é que o turismo é prioridade para alguém da classe política itajaiense. Pertencesse a Praia Brava a Balneário Camboriú, esta seria hoje praia muito melhor projetada no cenário turístico estadual. O poder público em Balneário Camboriú sempre foi muito criativo quando o assunto é explorar bem os recursos naturais. Os novos decks de madeira da Barra Norte e da Trilha Ecológica do Morro do Careca comprovam isso. Transformaram áreas ignoradas em pontos turísticos de caráter ecológico admiráveis. No caso da primeira, é um deck de madeira que contorna o costão norte da Praia Central, permitindo o acesso da população à Mata Atlântica que recobre os morros dali. É muito agradável passear pelo deck e a presença de jovens e famílias onde antes só se encontravam adeptos da cannabis comprova o sucesso e a diferença que faz a criatividade e a vontade política. Outras idéias bem sucedidas em Balnéario Camboriú são a Linha Interpraias, avenida interligando todas as praias do sul do município à BR 101; O Parque Unipraias, interligando através de bondinhos aéreos duas praias e uma estação ecológica repleta de atrativos no topo de um morro; E vários outros projetos turísticos muito bem sucedidos que fizeram de Balneário Camboriú uma cidade muito conhecida em todo o Mercosul.

Mas… A Praia Brava continua linda, mesmo ignorada. Hoje, paulatinamente a pavimentação das ruas está se fazendo. Está uma verdadeira novela, mas está saindo. O que distingue esta praia de outras é preponderantemente o belo cenário natural – sendo uma praia de mar aberto, logo de águas límpidas – com localização em meio a dois centros urbanos de razoável tamanho, dada a proporção populacional do Estado. Florianópolis também tem praias paradisíacas, assim como Bombinhas, mas o acesso a elas é bem mais complicado. Na Praia Brava não. Entrando no primeiro acesso a Balneário Camboriú, na BR 101 para quem vem do norte, ou o último para quem vem do sul, dentro de 10 ou 15 minutos já estará vislumbrando uma cena com fortes efeitos anti-estresse, como a abaixo:

Praia dos Amores - Balneário Camboriú

Praia dos Amores – Balneário Camboriú

Sempre comemoro aqui a chegada do Outono. Depois do verão, dos turistas, do carnaval e da algazarra, a paz volta a tomar conta da rotina. Entendo a importância dos turistas para qualquer região tipicamente turística, mas eles alteram completamente a rotina tranquila daqui. Ossos do ofício! Enfim, o outono e o inverno aqui são calmos, gostosos, e não é tão frio quanto na serra catarinense. Como em todo o lugar, o ar fica mais seco, a luminosidade é diferente, os ventos normalmente não passam de brisas constantes, e passar uma tarde ensolarada na beira da praia é uma das coisas mais boas a se fazer.

Ao contrário do senso comum, gosto do friozinho, gosto da chuva, gosto de tempo nublado. E passar o outono e inverno aqui nesse cantinho do hemisfério austral é, para mim uma experiência ao mesmo tempo introspectiva e eu diria… idílica!

Quem mora ou já morou aqui sabe disso.