Resenha do Livro A Cabana divulgada

A Cabana

A Cabana

A Cabana consiste num romance em que a filha mais nova de Mackenzie Allen Philip foi raptada durante as férias em família e há evidências de que ela foi brutalmente assassinada e abandonada numa cabana. Quatro anos mais tarde, Mack recebe uma nota suspeita, aparentemente vinda de Deus, convidando-o para voltar àquela cabana para passar o fim de semana. Ignorando alertas de que poderia ser uma cilada, ele segue numa tarde de inverno e volta a cenário de seu pior pesadelo. O que encontra lá muda sua vida para sempre.

Num mundo em que a religião parece tornar-se irrelevante, o livro A Cabana invoca a pergunta: “Se Deus é tão poderoso e tão cheio de amor, por que não faz nada para amenizar a dor e o sofrimento do mundo?” As respostas encontradas por Mack surpreenderão você e, provavelmente, o transformarão tanto quanto ele.

  • Editora: Sextante
  • Autor: WILLIAM P. YOUNG
  • ISBN: 9788599296363
  • Ano: 2008
  • Número de páginas: 240

Opinião e crítica particular sobre o livro A Cabana

Não consigo entender porque alguns livros alcançam o posto de best-seller. Este é um caso. Se você observar a opinião das pessoas que leram o livro A Cabana na página do mesmo no Submarino verá que a maioria dos leitores ADOROU, o que só reafirma o caráter muito pessoal deste meu texto, já que desta vez não concordo muito com a maioria.

É bem verdade que a história em A Cabana é interessante e original, dada a intenção do autor William Young de revisar alguns conceitos que se tem de Deus, por vias da ficção. Essa revisão se dá através de um suposto encontro entre um homem revoltado com Deus e o próprio Deus em pessoa, devido à perda recente de sua filha. Mas sob o meu ponto de vista, essa revisão não mostrou nada de extraordinário. Eu simplesmente NÃO ENTENDI a mensagem do livro. Na resenha do livro A Cabana divulgada na página de vendas do mesmo está o seguinte trecho:

“Se Deus é tão poderoso e tão cheio de amor, por que não faz nada para amenizar a dor e o sofrimento do mundo? As respostas encontradas por Mack surpreenderão você e, provavelmente, o transformarão tanto quanto ele.”

Pois bem, não encontrei essas respostas. Certamente eu não sou o tipo de leitor a quem o William Young destinou sua mensagem. Particularmente, achei que encontraria um livro espiritualmente rico e repleto de mensagens elevadas, mas sinceramente, ficção por ficção :),  encontrei-as com maior intensidade em qualquer outro livro da Seicho-no-ie ou mesmo em livros espíritas, que mesmo baseados na ideia reencarnacionista, proporcionam uma elucidação das coisas inexplicáveis da vida de forma muito mais convincente e eu diria até… lógica, do que as que (não) encontrei em A Cabana.

(Não é a toa que o espiritismo foi tão longe no Brasil, já que tem oferece uma compreensão razoavelmente melhorada dos mistérios da vida, em relação à mensagem puramente bíblica e cristã. O que não me agrada na mensagem espírita é a ênfase demasiada no aspecto da RESIGNAÇÃO quando estamos diante de dificuldades aparentemente insuperáveis. Não acredito que devemos nos resignar. Devemos encontrar saídas. Se não for a saída IDEAL, que seja ao menos a saída POSSÍVEL. Qualquer atitude é melhor do que ficar parado, sofrendo e se lamentando, esperando para ser feliz na próxima vida. Se tiver interesse no tema, já escrevi sobre isso aqui)

Voltando ao livro A Cabana, o que encontrei foram conceitos desconexos, aparentemente providos de um sentido profundo, mas apenas aparentemente, mais ou menos como são os livros do Paulo Coelho. Admiro muito o Paulo Coelho, mas mais por sua capacidade de falar às multidões com seu estilo simples. E, pensando sob este viés, quem sabe seja este o grande mérito de A Cabana: Falar às multidões.

Suponho que as pessoas que gostaram desse livro talvez não tenham lido muitos outros livros sobre espiritualidade anteriormente. Daí o encanto com o que concordo ser uma história muito original. Talvez para um religioso cristão, praticante, o livro A Cabana e sua mensagem traga de fato um novo olhar nas relações entre Deus e o Homem. Mas repito, para quem costuma ler livros espiritualistas com frequência, sentirá que a mensagem deste livro pouco acrescenta, reforçando o conceito cético de que Deus é a solução para quando não encontramos respostas.