Injustiça

Tipo isso

Se você acredita em Deus, e se acredita que Ele é JUSTO, então você de alguma forma precisa considerar a possibilidade de que todos nós passamos por vidas sucessivas neste planeta (ou, vai saber, em outros).

E deve levar em conta que a lei do plantar e colher transcende essas vidas, podendo iniciar em um período de uma vida, e se concluir ao período de outra vida posterior.

Porque se você não considerar a possibilidade de que de alguma forma somos NÓS os responsáveis pelo que nos acontece, e que estamos a todo momento colhendo o que plantamos, mesmo que tenhamos plantado os frutos amargos de hoje numa possível vida passada, então a alternativa recai sobre Deus, que teria nos criado e nos largado neste mundo caótico, sujeitos aos altos e baixos de uma única vida sem o menor traço de ordem.

E as muitas tragédias ocorridas a cada passo envolvendo gente APARENTEMENTE “inocente” demonstram então que esse Deus simplesmente não é justo. Crianças miseráveis, crianças doentes, crianças e adolescentes brutalmente violentadas, outras queimadas vivas, como nesta última tragédia brasileira da cidade de Santa Maria. Quanta injustiça este Deus permite com sua própria criação.

Injustiças?

Porém quando você interpreta todos os acontecimentos à luz do CARMA, compreendendo a reencarnação como o meio que a vida utiliza para garantir o seu cumprimento, é automaticamente levado à conclusão de que não há injustiças.

Não há vítimas, nem acidentes.

Há apenas resultados, e TUDO é, de alguma forma que não conseguimos (ou não queremos) visualizar, necessário, porque tudo que se colhe foi, de alguma forma, plantado. E o que não está disponível para a colheita muito provavelmente nem plantado foi.

Alguma vez se viu desanimado crendo que tudo no mundo está errado? É porque o pensamento dos indivíduos está enviesado e, somados, resultam nesse mundo bárbaro que lhe desanima.

O povo sofre negligência? É porque é negligente consigo mesmo, preferindo distrair-se do que construir-se.

Sofreu uma grande perda? É porque precisa aprender a andar sem muletas.

Quer mudar um efeito? Mude sua causa.

Porque Deus é sobretudo uma Lei, generosa ao ser cumprida, e implacável ao ser negligenciada.

E espero profundamente que assim seja. Porque do contrário…

… talvez Ele, ainda mais simplesmente, nem exista.

E sejamos todos fantoches nas mãos da temperamental e inconstante fortuna romana, ou do frio e indiferente acaso científico.