Você

Você

Todos os problemas que enfrentamos de caráter espiritual advém do orgulho, sendo este mais uma condição psicológica do que um sentimento por si. Orgulho em boa medida significa uma sensação de dignidade pessoal e de auto-preservação. Em excesso significa valorização excessiva de si mesmo.

Mas o orgulho, sendo algo tão essencial pois é a atenção para com o próprio ser, acaba por se manifestar em diferentes frentes de ação pessoal, as quais têm, cada uma, uma denominação própria e são, basicamente, as seguintes: Prepotência, Presunção, Pretensão, Arrogância, Vaidade, Soberba e Altivez.

Aqui nesse texto, fiz um pequeno léxico sobre os significados dessas manifestações e quais são os nomes mais comuns para elas, e agora, neste texto, comento sobre as consequências práticas e bastante negativas que ocorrem quando tais manifestações de orgulho ocorrem com intensidade ou quando se estendem por muito tempo na vida.

Culpa

Consequência de uma personalidade prepotente. Quando você diz eu me sinto tão culpado você está comunicando:

Não aceito estar bem, enquanto outras pessoas estão mal. Logo eu, tão inerrante e onipotente a ponto de ser responsável não só por todas as coisas ruins que me acontecem, como também por todas as coisas ruins que acontecem a todo o resto do mundo. 

Ação extrema: O martírio.

Dica do Ronaud: Se você conseguir se responsabilizar só pela sua vida, e fazer dela uma vida bem sucedida, já estará dando uma grande contribuição à humanidade. Bônus: Não adianta se responsabilizar pela felicidade dos outros, porque basicamente, isso não é efetivo, muito menos, possível.

(Por outro lado, a pessoa que só se desculpa por tudo, é uma pessoa fraca que está fugindo da responsabilidade, mas vaidosa o suficiente para não admitir isso.)

Mágoa, Decepção

Consequência de uma personalidade presunçosa. Quando você diz estou magoado, você está comunicando:

Não admito que agiram de um jeito diferente do que eu esperava / queria.

Ação extrema: O afastamento sob a seguinte postura: Só volto a falar com você (só te perdoo) quando você reconhecer que o meu jeito é o certo e que você errou miseravelmente.

Dica do Ronaud: Por mais que prometam a perfeição, as pessoas vão falhar, mais cedo ou mais tarde. Aliás, se prometeram a perfeição, já começaram falhando, porque, né? Acho que não preciso explicar…

Bônus: O que é perdoar?

Ressentimento

Consequência de uma personalidade arrogante. Não dizemos que estamos ressentidos com alguém. Nesse caso, começamos a diminuir o alvo de nosso desagrado. Então quando você critica alguém, há certa chance de que você gostaria de ser quem está criticando e quando critica algo, possivelmente gostaria de estar fazendo o que está criticando, e está comunicando fundamentalmente o seguinte:

Só eu que sei fazer as coisas (apesar de possivelmente nunca ter feito nada de relevante na vida), e só o que eu gosto é que presta. O CERTO é o jeito que eu acho certo. Todo o resto do mundo está errado.

Ação extrema: A inveja. Fica feliz da vida quando as coisas dão errado para os outros, afinal, assim, as coisas se igualam pois nada nunca dá certo na sua vida mesmo.

Dica do Ronaud: Uma vez ouvi uma especulação qualquer que afirmava que há 256 formas diferentes de se lavar a louça. Então faça os cálculos para todas as infinitas possibilidades, de todas as outras infinitas tarefas bem mais complexas do mundo.

Bônus: Ressentimento, ou eu é que sei como fazer as coisas.

Raiva, Irritação

Consequência de uma personalidade pretensiosa. Quando você diz, trincando os dentes Ai que rrrrrrraiva!, está comunicando:

Não admito que o mundo não consiga adivinhar e corresponder ao que eu quero nesse exato momento. Só por isso vou mostrar como eu sou foda e vou quebrar tudo nessa por*a.

Ação extrema: Violência… e ser ridículo.

Sem dica do Ronaud, porque ele tem uma dificuldade particular quanto a esse tema.

Bônus: Alguns textos sobre paciência.

Angústia

Consequência de uma personalidade vaidosa.

As coisas precisam mudar, mas não sou eu que vou ser o vilão que vai tocar o terror na vida das pessoas. Quero ser aceito por todos e a melhor forma de ser aceito é ser bonzinho.

Ação extrema: Não existe ação extrema, aqui o sujeito vai definhando até morrer de desgosto ao perceber ao longo da vida que ninguém merece tanto sacrifício assim.

Dica do Ronaud: É preciso desenvolver sua sua segurança emocional, para depender menos da opinião de quem você nem gosta tanto, para balizar sua autoestima, e para enfrentar o que precisa ser enfrentado.

Bônus: Como lidar com os outros e (In)segurança emocional

Ansiedade, Preocupação

Consequência de uma personalidade prepotente.

Nada nesse mundo vai funcionar se eu não estiver ali, cuidando para que tudo dê certo. Nem que seja em pensamento… de longe… e muito antes do acontecimento.

Ação extrema: Colapso nervoso.

Dica: Parar de querer bancar o super-homem ou a mulher-maravilha.

Bônus: Não se preocupe

Ódio

Consequência de uma personalidade orgulhosa por excelência: ela é prepotente, presunçosa e pretensiosa.

Não admito que essa pessoa / circunstância exista.

Ação extrema: Qualquer ação efetiva que acabe com o que se odeia, nem que seja a morte.

Dica do Ronaud: #simata

Bônus: Você não merece.

***

Longe de mim querer fechar o assunto em poucas linhas, mas justamente em linhas gerais, e com algum humor, é o que percebo.

Ainda penso que todas esses sentimentos e manifestações de orgulho se relacionam entre si e vão de um a outro de modo graduado. Todo prepotente é meio presunçoso e pretensioso. Todo presunçoso é meio prepotente e arrogante, e assim por diante. Quando tratamos de características humanas, nenhuma definição resolve bem o assunto na base do 8 ou 80 e sim, de modo gradual e suave.

A única certeza a respeito do orgulho que eu tenho é que, em excesso, ele atrapalha e atrasa bastante a nossa vida. Ele nos ilude a respeito de valores que no fim, valem muito pouco.

Por uma vida mais leve e por mais paz interior

Por uma vida mais leve e por mais paz interior