Você consegue!

Você consegue!

Vejo que a autoconfiança é algo mais fácil de desenvolver do que a autoestima, muito embora ambas estejam intimamente relacionadas. O que me faz pensar assim é que a autoconfiança se aplica mais em fazer algo do que em gostar de si mesmo. O próprio tempo, com as vivências e experiências que nos proporciona, acaba tornando as pessoas mais autoconfiantes. Quisera eu saber disso 10 anos atrás pois teria esquentado bem menos a cabeça… Muitos podem saber fazer algo muito bem, sendo muito confiantes em sua tarefa, porém podem ter a autoestima baixa mesmo assim. Mas ter baixa autoestima E baixa autoconfiança me parece pior :)

Nesse sentido, aumentar a autoconfiança se torna um grande e importante passo para reforçar nossa autoestima. Uma das formas de se aumentar nossa autoestima é focando nossa atenção naquilo em que somos bons, desviando-a de nossos pontos fracos. Porém entender que todos tem seus pontos falhos também é muito importante. Ninguém é melhor que o outro necessariamente em tudo.

Enquanto você hesita porque se sente inferior, alguém está muito ocupado cometendo erros e crescendo. (autor desconhecido)

Intenção sem ação é ilusão. Ouse fazer e o poder lhe será dado. (autor desconhecido)

Para desenvolver e aumentar sua autoconfiança, sugiro, primeiramente, que você deixe de se cobrar a respeito da área na qual você pretende desenvolver-se. NINGUÉM TEM QUALQUER OBRIGAÇÃO DE SER BOM EM ALGO. Quem nos impõe essa obrigação são os outros. Então vamos parar de nos cobrar: “Tinha que ser assim…”, “Preciso ser…”, etc. Não tem que SER nada que não tenhamos optado conscientemente, estudado e trabalhado para que SEJA. A cobrança que vem de fora muitas vezes é importante para nos fazer pegar no tranco. Mas quando é demais, nos atormenta o espírito.

Procurando por autoconfiança no dicionário, não encontrei nada relevante, no entanto, ao procurar por CONFIANÇA obtive as seguintes definições:

(con.fi:an.ça) sf.

1. Sentimento de quem confia em algo ou alguém: Ganhou a confiança de todos. [ + em : Ele tem confiança no médico da família. ]

2. Segurança íntima: agir com confiança.

3. Bom conceito, boa opinião que as pessoas têm em relação a alguém ou algo: profissional de confiança.

4. Sentimento de respeito, de harmonia e entendimento: Um clima de confiança cercou a assinatura do contrato.

5. Pop. Petulância, atrevimento, fidúcia; atitude de quem é confiado (2): Teve a confiança de entrar sem pedir licença.

[F.: confi (ar) + -ança.]

Dessas definições pode-se concluir algumas observações interessantes, quando interpretadas no sentido da confiança voltada a nós mesmos:

Segurança íntima

No sentido de se estar certo de se estar a altura da tarefa exigida. Ou mesmo de aceitar-se não estando a altura. Afinal, lembre-se: “Ninguém tem que ser nada que não sinta genuinamente que deva ser”. Nós é que temos que decidir o que temos de ser ou não, de acordo com nossas aptidões e predisposições. Essas exigências vem dos outros e da sociedade. Cabe a nós optarmos por nos submetermos a elas, ou negociarmos condições para nos desenvolvermos, ou rejeitá-las completamente e seguir o próprio caminho.

Uma dica a este respeito é ajeitar-se e vestir-se bem. Para estarmos seguros de si é fundamental que estejamos confiantes e seguros quanto ao modo como os outros estão nos vendo. Acredito que é impossível desligar-se completamente do que os outros vão pensar, pois vivemos em sociedade e precisamos dos outros. Então fica a sugestão de caprichar no visual e no vestuário, sem exageros. Isso já fará uma diferença enorme.

Outra dica é estudar e desenvolver suas competências, isto é, praticar e buscar a excelência nas atividades que você exerce no trabalho ou por gosto. Ninguém nasce sabendo, então uma hora teremos que começar. E mesmo depois, nunca pare de estudar e continuar desenvolvendo-se. Estude, ou participe de atividades como aprendiz ou estagiário(a) e dê tempo ao tempo. Com o passar dos anos, você se tornará exímio em sua atividade, seja qual for, e se sentirá incrivelmente seguro(a) de si. Mas isso só o esforço diário e o tempo poderão trazer, portanto é fundamental ter paciência consigo mesmo, desapegar-se da ansiedade de sentir-se pronto(a) pra ontem, e tratar-se com carinho e paciência, mais ou menos como os pais fazem (0u deveriam fazer) com seus filhos.

Bom conceito e respeito

Também em relação a nós mesmos, ao que somos, ao que podemos ser. Aceitação do que somos é fundamental. Aceitar é largar a necessidade do tem que ser e conviver com o que É.

Há uma observação a ser feita. E é justamente no que toca à hipocrisia geral reinante. É assim: Se você é hesitante e incapaz, você não vai dar em nada e todos olham para você com dó e solidariedade. Por outro lado, se somos confiantes e demonstramos essa confiança, então nós NOS ACHAMOS, somos convencidos, metidos. Arrisco a dizer que é preferível ser um competente metido, do que um incompetente bonzinho.

Começando do zero

Se você não sabe fazer nada direito, nem tudo está perdido :) Aí está uma ótima oportunidade para se começar a estudar algum tema de seu gosto e começar a praticar, seja da forma que for. QUANTOS gostariam de renovar sua vida e se sentem presos ao passado, ao trabalho e aos compromissos assumidos? Você neste caso tem uma oportunidade única e invejável de começar do zero, com toda a liberdade pra isso. Por outro lado, ninguém TEM que nascer sabendo o que fará da vida, muito embora EU MUITO ADMIRE quem já nasce sabendo o que quer da vida. É essa gente evoluída e bem resolvida que nos causa inveja e… bom, deixa pra lá!