Eu não tenho o hábito de assistir filmes, muito menos séries. Estas, em especial, considero muito looongas, estendidas demais até o ponto da exaustão. Acho que a vida é muito curta pra ficar assistindo trocentas temporadas com trocentos episódios cada uma, com uma história sendo enrolada quando poderia muito bem ser enquadrada de forma muito marcante num período de 2 horas de um filme típico de hollywood.

Pois bem, como sempre há exceções. Por um acaso qualquer, descobri meu vilão favorito nas redes sociais, e alguns vídeos realmente me convenceram que a série Peaky Blinders era digna de ser assistida. Assuntos que envolvem poder e negócios me interessam muito.

É notório que, como em toda série que se estende demais, há muitas surpresas, reviravoltas e invenções insanas e sem o menor sentido ou probabilidade real. Me senti meio trouxa em alguns pontos em que ficamos indignados com certos rumos da história que se resolvem através dos subterfúgios mais explicitamente ridículos. Mas faz parte do jogo da ficção.

Entretanto, notei, enquanto assistia os episódios, que é possível aprender muito com os personagens da série, especialmente com o Thomas Shelby, o líder da quadril… digo, da família Shelby e seus negócios.

Abaixo, listo 6 lições de negócios que achei muito relevantes e que Tommy pode nos ensinar.

1 – Não reaja!

Thomas Shelby é um sujeito muito focado. Talvez um dos personagens mais focados que eu já tenha visto na ficção. Ele simplesmente não reage a nada que não possa ajudá-lo de alguma forma. Seus nervos de aço, forjados na Primeira Grande Guerra, fazem dele uma ilha de solidez inabalável diante de sua família composta por integrantes ora tensos, ora ansiosos, ora desesperados, ora precipitados.

Em muitas vezes, durante interações entre os personagens, ele mal responde a conversas ou perguntas que lhe fazem. Em certas cenas hilárias, sua tia Polly pergunta algo a Tommy, e ela mesmo responde, enquanto ele fica olhando pro nada. Zero reação.

Evitar reagir a toda e qualquer futilidade nos poupa energia emocional. Ser educado e atencioso é legal, é o que as pessoas esperam de nós, mas é importante saber que direcionar nossa atenção o tempo todo aos outros para agradá-los (e suprir a carência deles) nos esgota a energia mental e emocional.

2 – Quando reagir, é pra ganhar!

No entanto, quando ele age, ou reage, é para ganhar a briga, resolver a situação, expandir seus negócios.

Note que sempre que ele finalmente reage, está muito bem preparado, com armas, com informações, com estratégias, com parceiros.

Estas duas primeiras lições poderiam ser resumidas em: Concentre suas energias e esforços para se preparar – e estar muito bem preparado – para quando precisar agir. Porque em algum momento, você VAI PRECISAR AGIR. E perder nunca é uma opção.

3 – Estude seu interlocutor!

A todo momento durante a série, Tommy está sempre muito bem informado sobre todos os interlocutores com quem está interagindo. Seja inimigos, rivais, parceiros ou familiares, ele sempre sabe tudo que precisa para tomar decisões, influenciar ou lidar com seus oponentes ou parceiros. Evidentemente, dentro do contexto da série, ele era líder da gangue local e tinha seus informantes. Gente de confiança. Mas fica a lição, estude o cenário, estude a concorrência, estude o sujeito com quem está lidando.

4 – Coordene sua equipe!

Também notei que sempre, SEMPRE, antes da família empreender alguma tarefa, ou enfrentar um desafio, há uma reunião em que Thomas ou seus irmãos passam as tarefas de forma específica para os parceiros. “Senhores, hoje, faremos isso! Vocês dois fazem isso. Você vai por lá e faz aquiloutro. Você aí encontra fulano lá no final da rua. NÃO FAÇAM TAL COISA!”

Esses eventos da série me lembravam muito uma frase que ouvi tempos atrás: “Até o óbvio precisa ser dito“. Diga, fale, oriente, explique, porque as pessoas basicamente não enxergam o que você enxerga, mal sabem pensar; precisam de liderança e orientação.

As empresas há tempos possuem, nesse sentido, as famosas reuniões. No âmbito empresarial, o evento da reunião já virou folclore, como um momento entediante e infrutífero da rotina de trabalho. Esse desvirtuamento ocorreu pela sanha moderna por inovação, quando gestores passam a inventar moda. Reunião tem que ser rápida, objetiva, com ordens vindo de cima pra baixo, e deve ser realizada somente mediante necessidade diante de eventos importantes. Reuniões semanais sem propósito são perda de tempo.

5- Ajude sua família!

Nos filmes sobre a máfia italiana, a questão da família e sua importância fundamental é sempre mais explícita. No entanto, nesta série sobre a máfia inglesa também observamos que Tommy ajudou seus irmãos e sua tia em muitas ocasiões. Ajudou John a se casar com uma mulher de confiança. Ajudou Polly a reencontrar seu filho vivo. Deu um bar para Arthur. Deu uma casa para sua irmã viúva morar com seu sobrinho. Fora outros acontecimentos que agora me fogem da memória. Isso vale para os familiares que nos são leais.

6 – Mantenha o Foco!

Fãs mais entusiasmados da série se espelham no jeito do Thomas de ser, impassível, frio e calculista. O fato é que, em se tratando de negócios, a visão, a estratégia, a frieza e a racionalidade são os melhores conselheiros. A emoção só atrapalha; aliás, a emoção só ajuda na hora da ação.

Todo o foco de Tommy se direciona aos negócios, sua legalização e expansão. Todas as decisões, movimentações, enfrentamentos e alianças são determinadas com base na manutenção e expansão de seu poder, que envolve a proteção da família, o controle local e as atividades dos negócios.

Essa postura é típica de todo negocista. Não é certo nem errado, é uma postura apenas. Mas se você quer crescer na vida, não há outro caminho fora dos negócios.

7 – (Bônus) Vista-se Bem!

A série Peaky Blinders se passa nos anos 1920, dos quais já falei aqui, e aqui. O estilo geral das pessoas entre os anos 20 e anos 50 eram de uma fineza e elegância únicas. Os personagens da série, no decorrer das temporadas, especialmente as mulheres, vão aderindo mais e mais ao estilo magnífico dos anos 20. É nesta década em que se encenam as temporadas, uma vez que o contexto geral do início da história é o retorno dos irmãos Shelby da luta na França durante a 1ª Grande Guerra, terminada em 1918.

Os rapazes não ficam por menos. A classe e a elegância do Thomas são irreparáveis, e servem de lição. Aristóteles Onassis, magnata da indústria naval, ironizava que “pintava os cabelos de preto para conversar com as mulheres, e de branco para conversar sobre negócios”. A mensagem é que cada situação exige uma postura e comunicação adequadas ao momento. Moda não é uma brincadeira de se exibir, moda é comunicação. Se você quer ser um homem de negócios respeitado, vista-se minimamente como um. Há vários perfis de homens que dão dicas de estilo para homens no Instagram. Siga-os. Observe homens bem vestidos ao seu redor, espelhe-se neles.

Evidentemente, no Brasil é inviável se vestir como um europeu, especialmente no verão. No entanto, a moda mundial contemporânea para homens já é um esculacho per se, e o brasileiro dobrou a aposta, sob a desculpa do calor. Calor não é desculpa para se andar igual um mendigo na rua, ou ficar exibindo seu barrigão feio de cerveja pela casa. O fato é que o brasileiro médio se veste muito mal. A cultura progressista desde os anos 60 despiu o homem de noções de razoabilidade e bom gosto nas vestimentas. Sinal de oportunidade, ganha quem dá atenção a isso. Um homem bem vestido, sem afetação, mas com os devidos cuidados e capricho, já sai na frente.