Me deixa

(não) Me deixa

Sonhos, sonhos e mais sonhos
daquela felicidade nossa
naquela festa gostosa
num sonho de valsa
na noite libidinosa
você linda, e sempre minha

Nossos jantares a dois
Programas com a galera
Risadas, gargalhadas, alegria
Uma viagem romântica, à serra
Onde estão essas vivências,
que sonhamos com pressa?

Nossa casa bonita
Imaginada por você
Cuidada por mim
Construída por nós dois
Vivida por nós três
Ou quatro… ou nada

E nossas saídas? Nossas baladas,
divertidas e roubadas,
por um acaso impiedoso
Por uma dúvida cruel
Por uma decisão covarde
Pondo um fim provável,

no que não passaria de sonho
Proibida pra mim, no way
conheci o paraíso, agora expulso
da vida perfeita, boa demais
nem certeza, pra ser verdade
só por milagre, da divindade

que brinca com a gente
nos faz de palhaços
desse circo de trapos
de cacos, dos sonhos
despedaçados
que é a vida

/ Ronaud Pereira /

***

Veja outros poemas