Muita calma nessa hora

Muita calma nessa hora

Ouça-a.

Coloque-se ao mesmo nível dela.
Nem superior, nem inferior.
Nunca deixe de ouvi-la.

Toque-a. Toque-a muito.

Segure suas mãos.
Sinta o calor, a textura das mãos dela.
Segure suas mãos de todas as formas possíveis.
As costas das mãos, as palmas, os dedos.
Numa hora pressione.
Noutra, arraste seus dedos levemente em qualquer parte de suas mãos.
Beije suas mãos.

Segure suas pernas.
Acaricie-as.
Empurre-as levemente, e puxe-as de volta para perto de si.
Arraste a palma da sua mão sobre a perna dela,
numa hora com firmeza,
noutra, com leveza.

Abrace-a.

Abrace seus quadris,
com o carinho de quem reconhece ali o seu berço.
Abrace sua cintura,
com a sensualidade de quem a toma para si.
corra com suas mãos por aquelas curvas
até se perder. Que não queira JAMAIS
encontrar o caminho de volta.

Acaricie seus seios,
ora com firmeza, ora com leveza
Mais leveza do que força.
Percorra esses acúmulos de sensualidade
incansavelmente.
Levemente
Beije-os.
Salpique toda sua superfície com beijos
Deixe que sua língua explore cada detalhe
sobretudo, o topo de seus seios.

Que suas mãos, e também seus lábios, e sua língua
JAMAIS deixem ou se cansem de percorrer a delícia que é
o corpo da mulher que você ama.

Acaricie os cabelos dela
De cima pra baixo, vá lambendo seus cabelos com suas mãos
vagarosamente, pacientemente, repetidamente
Mergulhe suas mãos por entre os cabelos
e abrace a nuca dela
e massageie a nuca e o pescoço
intercaladamente

Assim como nos seios
salpique o pescoço dela de beijos
cheire muito esse cangote
até se viciar no cheiro da sua mulher
Beije-a
Muito.
Delicadamente.
Violentamente.
De leve
De língua
De lábios
Mergulhe até encontrar
sua alma.
Toque seu rosto
Nunca com firmeza
Ao rosto só cabe leveza
Percorra, ora com os dedos, ora com a palma de sua mão, ora com beijos
Cada cantinho do rosto dela
Testa, sobrancelhas, nariz, bochecha, lábios
Desenhe seus lábios com seu dedo, noutra hora com a língua
com a leveza de uma pena.

E então (por fim), FALE
Está perto de seus ouvidos
fale tudo que sente
porque só homens fortes dizem o que sentem
diga o quanto a ama, o quanto ela enriquece sua vida
o quanto ela desperta o seu desejo
cite e relembre incansavelmente a ela
cada parte dela que lhe agrada
se ela merece seu amor,
nunca se cansará de ouvi-lo

Além do seu pênis
Você tem vários outros instrumentos
Boca, língua, palavras,
e suas mãos
O grande amante,
é o que sabe conduzir bem sua orquestra
com instrumentos para o prazer

Mas lá, na divina fenda
Eu diria que nenhum supera a versatilidade
Das suas mãos. Brinque muito por lá.
Uma mão hábil, sincronizada com beijos
e palavras obscenas bem ditas
vai levá-la ao delírio

Jamais penetre-a
sem fazer com que ela deseje muito isso
Porque então, não irá penetrá-la,
e sim, deslizará para dentro dela
Seja lento.
Sinta-se lá dentro.
Sinta-se à vontade,
porque ela te quer ASSIM.
Lento ou rápido
por cima ou por baixo
Ela te quer NELA.

Sua mulher é um ser fantástico
Explore aquele corpo, e aquela alma
E se gostar de mulher,
nunca ficará entediado
porque encontrará, a cada cantinho
a cada palavra, um mundo lindo
a ser descoberto.

/ Ronaud Pereira /

Texto de 2003, perdido aqui nos meus arquivos.

***

Veja outros poemas