Vontade louca de não fazer nada

Vontade louca de não fazer nada

Pesada tristeza
Fardo sem graça
Falta tua graça
Preciosa leveza

Dói, atordoa,
de se perder o chão
Tristeza adstringente,
se é que me entende

Porque tá tudo bem,
pra quem vê
Segue tudo errado,
pra quem sente

Inerte, sem raiva, sem ódio
Paixão sufocada, ansiosa
Porque me sufoca, o medo
Por que me cala, angústia?

Envergonhada inércia
Despropositada letargia
Afastado por desvalor
Desacredito em amor

Tristeza grande, imensa
Tristeza de nada, e por tudo
Tristeza sem lágrimas, seca
Tristeza calada, choro mudo

/ Ronaud Pereira /

***

Veja outros poemas