A grande conjunção de 2020

A grande conjunção de 2020

Quem se afiniza com o assunto, sabe que temos uma superconjunção de astros em Capricórnio.

São três astros considerados “maléficos” – Plutão, Saturno, Marte – e apenas um “benéfico” – Júpiter perdido ali no meio da turma do mal; exatamente por estas horas (18/03/2020) a neutra Lua está passando pela conjunção.

Quem acompanha SABE que esta influência é poderosíssima, mas não deve estar sabendo com clareza que raio que tem a ver Capricórnio, o signo das estruturas materiais, com uma doença epidêmica pulmonar.

Ora, Mercúrio, o regente dos pulmões em Gêmeos e da Saúde como um todo em Virgem, não está tão mal posicionado, nem mal aspectado; pelo menos não o suficiente para significar sozinho este caos mundial.

A resposta para esta questão está surgindo nesses últimos dias com a paradeira econômica, que está só começando.

Tivemos nesses dias uma inédita – INÉDITA – sequência de circuit-breaks nas bolsas de valores do mundo todo. Falando de forma bem genérica, o valor das empresas está 30% menor – e caindo. Ordens governamentais para fechar comércios “não essenciais” está causando pânico em meio mundo de pequenos empresários. Petróleo ao mesmo valor de 2003. Governantes já lançando de ante-mão planos econômicos para re-estímulo da economia, que mal começou a parar. A preocupação está deixando todos tensos, porque para muitos, é o pão na mesa que está em jogo.

Meu entendimento é que o covid-19 é apenas um gatilho para algo maior, e que esta crise verdadeiramente mundial não é uma crise sobre saúde, nem sobre gripe.

A mim aparenta ser uma crise das superestruturas econômicas mundiais.

A aldeia humana estremece.

Abaixo, texto de autor anônimo recebido de um tio no Whatsapp, que encerra minha opinião melhor do que eu conseguiria:

“Este God’s break veio em tempo oportuno.

A humanidade está desenfreadamente enlouquecida.

O homem não tem tempo para refletir sobre si mesmo nem olhar para o outro, não tem tempo para amar sua família.

Essa oportunidade, é para colocarmos a própria vida em ordem. Rever conceitos, valores e re-significar a nossa própria existência… Este silêncio oportuno é CURATIVO.

As ruas estão ficando vazias. As estradas, os bares, os templos, as escolas, as universidades, os aeroportos estão parando…

E há certamente, para quem está atento, um silêncio no céu.

Algo profundamente espiritual está acontecendo e poucos conseguem perceber.

Este é um silêncio de reverência.

Deus está falando. O universo está falando. A dor fala.

É tempo de endireitarmos as nossas veredas.”