Uma mordidinha não vai fazer mal

Uma mordidinha não vai fazer mal

Há um raciocínio que me serve de base moral pessoal, que estabelece que a diferença entre o que é pecado e o que é virtude é apenas uma questão de intensidade. Tal raciocínio ficaria melhor explicado através daquele ditado popular que afirma que a diferença entre o remédio e o veneno é a dose. Allan Kardec também dizia que o que prejudica é o abuso, e não o uso.

Adaptando esta forma de pensar para os sete pecados capitais: Em sua essência não seriam uma lista perfeita do que é humano? Vaidade; Inveja; Ira; Preguiça; Avareza; Gula; Luxúria; Somos essencialmente e manifestamos a cada passo todas essas características juntas, em cada um distribuídas em maior ou menor dose. E se pegarmos todos esse supostos pecados e os transformarmos em… digamos… dicas para uma boa vida?

Vaidade

Cuide de sua aparência, seja caprichoso com sua higiene. Zele por sua reputação.

Inveja

Observe os outros a sua volta e conheça os caminhos que você pode trilhar em sua vida. Faça do sucesso alheio a motivação para o seu sucesso.

Ira

Não seja bobão e servil. Defenda sua posição no mundo e seus pontos de vista. Brigue por seus ideais.

Preguiça

Poupe seu corpo de esforços exaustivos e sem propósito. Use sua inteligência para otimizar os processos de sua vida e de seu trabalho.

Avareza

Poupe parte do que ganha. Cuide de suas coisas. Seja zeloso com seus pertences. Não queira se apossar de ninguém.

Gula

Usufrua da boa comida. Aprecie intensamente a boa gastronomia e dê-se a oportunidade de aprender a preparar alguns pratos.

Luxúria

Ame as pessoas abertamente. Usufrua do prazer sensual em toda a extensão que tiver ao seu alcance e dentro de sua predisposição. Não faça o que não quer, mas não deixe de fazer o que quer.

E você, o que acha? Qual é o seu pecado favorito?