Curandeiras

Disse a anciã, curandeira da alma:

Não doem as costas, doem as cargas.

Não doem os olhos, dói a injustiça.

Não dói a cabeça, doem os pensamentos.

Não dói a garganta, dói o que não se expressa, ou se exprime com raiva.

Não dói o estômago, dói o que a alma não digere.

Não dói o fígado, dói a raiva contida.

Não dói o coração, dói o amor.

E é precisamente ele, o amor mesmo, que contém o mais poderoso remédio.

 

Hermana Águila – Ada Luz Márquez

***

Só se vê com o coração. O Essencial é invisível aos olhos.

Antoine De Saint-Exupéry