O Serginho Groissmann volta e meia traz à pauta em seu programa Altas Horas, a questão do bullying.

Para mim é uma questão delicada porque foi algo pelo que passei durante a infância.

Eu ouço o relato dessas pessoas no programa dele e não sei bem o que concluir.

Ora, a pessoa que pratica o bullying é um lixo existencial e não merece consideração. Mas naquela ocasião, ainda muito jovens, sem experiência pra mandar o sujeito tomar no meio do ** em alto e bom som, são lixos que nos atingem a estrutura emocional de modo muito intenso e podem comprometer nossa autoestima pelo resto da vida.

Mas hoje, ouvindo o relato dessas pessoas, ao mesmo tempo em que penso: “Cara, esse povo que pratica essas agressões é mesmo um lixo”, eu também penso: “Putz mas esse pamonha bem que merecia”.

Porque os bullyings que eu passei, quase sempre eu reagi. Aos 9 anos de idade, quando uma guria de uns 14 imitava a nasalidade da minha voz, eu peguei uma pedra no chão e ameacei jogar nela.

Ela nunca mais fez aquilo.

Um outro moleque, mais tarde, lá pelos 12 anos, fazia a mesma coisa. Caí na porrada com ele pelo chão umas 2 vezes.

Ele nunca mais fez aquilo.

Um outro moleque, veio imitar minha voz exatamente na minha frente, enquanto eu estava sentado com um amigo no banco do colégio.

Eu levantei, e dei um tapa tão forte na cara dele, um tapa onde se concentrou toda a raiva que eu sentia por passar por essas coisas, que ele se curvou e saiu resmungando.

Mas nunca mais me dirigiu contato visual.

E desde então esses episódios não aconteceram mais.

O fato é que a escola básica é o pior momento da vida de muitos adolescentes. Eu mesmo, por esses episódios, não tenho a menor saudade.

Depois, a faculdade também foi difícil, mas mais pelo trauma, porque a verdade é que sempre fui muito respeitado nesse ambiente universitário.

Lidar só com adultos, pra mim sempre foi um alívio e talvez por isso mesmo hoje eu me sinta bastante inseguro com crianças. Elas são absurdamente diretas.

Enfim, sobrevivi. Mas sobrevivi porque reagi, apanhei, mas bati sem dó. Esse mundo cão é assim, uma arena. Ou você aprende a brigar na hora certa, ou um bando de lixos vão te convencer que você não é digno de existir, quando quem não tem essa dignidade são eles.