Demora, mas chega

Demora, mas chega

Um dos fatores que menos se leva em conta quando julgamos qualquer fato, pessoa, etc é o fator TEMPO. Hoje uma pessoa comete uma injustiça com você e você naturalmente fica p. da vida com ela.

Às vezes a justiça vem a jato, mas quase sempre vem a cavalo. O tempo costuma ser benevolente com quem sabe esperar, e implacável com quem desconsidera alguns aspectos éticos da vida.

Quando eu era adolescente, um cara me prejudicava enormemente, de uma forma que não convém explicar. O que convém citar, é que alguns anos depois, soube que ele morreu eletrocutado. E eu fiquei contentíssimo com a notícia.

Há alguns anos, um sujeito prejudicou minha família enormemente. Fiquei sabendo esses dias que morreu num acidente de carro. Não é surpreendente? Não que eu ou minha família sejamos santos, mas a canalhice do lado de lá era clara e evidente pra quem quisesse saber dos casos.

Sei que a justiça é relativa. As duas partes se sentem com a razão. Mas uma delas “sabe” que poderia relevar algumas coisas.

E se ganha agora, tenha certeza, perde depois.

O mundo só é injusto se você olhá-lo como uma fotografia. Mas se você olhá-lo como uma sequência de fatos, verá que, se ele não se torna completamente justo, porque isso envolve os aspectos insondáveis da existência, certamente verá que muita coisa “se ajusta” por si só.

Basta saber esperar.

Mas não há nenhum segredo nisso. O canalha, aquele que tem o espírito da maldade, ou que é tão inconsequente que nem sabe bem o que faz ou o quanto prejudica os outros, esta pessoa, mais cedo ou mais tarde, acaba se perdendo sozinha, dando em nada, tropeçando e se rastejando sobre sua própria miséria moral.