Páááára de falá deconomia, deducação, ssas coisa aí, mano!!!

Páááára de falá deconomia, deducação, ssas coisa aí, mano!!!

Meio Brasil tá contente hoje porque o ~ Corinthians ~ ganhou o tal campeonato aí. Outra metade do país tá puta porque os corintianos ganharam o título. Quanto tempo e energia desperdiçados em algo que não constrói nada de relevante pro país. Coisa linda de ver.

Sabe, sei que a comparação é delicada, mas existe um tal de Prêmio Nobel aí, que a Argentina já levou CINCO. Isso mesmo, CINCO argentinos já ganharam um Prêmio Nobel.

Sabe quantos o Brasil ganhou? Chuta!

3?

1?

Não, o Brasil nunca ganhou um único Prêmio Nobel. Até a Guatemala tem 2 Nobels.

Talvez se existisse um Prêmio Nobel do Futebol, tivéssemos ganhado muitos deles. Mas acho que se não existe um Prêmio Nobel de Futebol, talvez seja porque isso não seja muito importante.

Ou talvez a equipe que distribui o prêmio seja um bando de “chatos” como eu…

né?

***

Publiquei esse texto acima no Facebook e quem concorda só “curtiu”. Quem discordou comentou que isso é questão de opinião. Então comentei por lá o texto abaixo, aqui melhorado:

***

Não sei se é uma questão de mera opinião. É uma questão de prioridades. Eu chutaria que 90% da tecnologia que usamos vem de fora, principalmente dos EUA e da Europa. Essa televisão, esse celular, esse computador e essa internet que você usa aí, veio de lá. Eles enriqueceram as nossas custas porque nós compramos isso tudo deles. Nada veio de graça.

E o Brasil, o que criou de revolucionário? Muito pouco… A mulher melancia, talvez? Só sei que o povo está lá agora pulando nas ruas de alegria. Criar tecnologia pra quê, né? Coisa mais sem graça. Bom é torcer na firrrrmeza pro curíntia, mano!!!

Enquanto estamos aqui “comemorando” um título de futebol, eles seguem lá criando MAIS tecnologia pra enriquecer ainda MAIS as nossas custas. E essa tecnologia é criada com Pesquisa, Ciência e Educação, que frutifica em prêmios Nobel. Veja que não quero “Prêmios Nobel”. Só utilizei-os aqui como critério comparativo. O que eu quero mesmo o brasileiro entenda que ele pode sim se divertir e curtir um jogo de futebol, mas que não pode esquecer que o que leva um país pra frente não é um título de um campeonato de futebol, e sim, o avanço econômico, que se fundamenta com educação, pesquisa e ciência.

Parece-me que a universidade de Harvard tem o orçamento equivalente ao orçamento de todas (ou a maior parte) das Universidades Públicas brasileiras.

A disparidade é grande e vai continuar enquanto o povo continuar iludido desse jeito.