Safadeza, mesmo...

Safadeza, mesmo…

Ontem QUASE conclui que a maior causa da corrupção era a dificuldade enorme de se conseguir dinheiro.

É muito empenho, muito esforço e dedicação para nem sempre se conseguir aquela quantia boa, suficiente para confortos e luxinhos.

Coisa que todos querem, mas cujo empenho para se obter, às vezes só depois de uma carreira de 30 ou 40 anos (e uma boa dose de sorte), nem todos têm e acabam sucumbindo a meios mais fáceis de se conseguir o que querem.

Então lembrei que há gente que já tem mais do que o suficiente, e continua numa trajetória de corrupção compulsiva e incurável, e o termo ganância me veio a mente.

Afoguei minha recém-nascida teoria num tanque de frustração e me dei por satisfeito voltando à opinião inicial de que uma parte considerável dos seres humanos não presta mesmo.