Veja a seguir uma seleção das pérolas da Dilma e me diga se não é coisa pra sentir pena de um país que tem como líder uma pessoa com tamanha obtusidade mental.

Saudações à mandioca

Saudações à mandioca

Índios morrem por falta de assistência técnica.

***

Não vamos colocar meta. Vamos deixar a meta aberta mas, quando atingirmos a meta, vamos dobrar a meta.

***

Paes é o prefeito mais feliz do mundo, que dirige a cidade mais importante do mundo e da galáxia. Por que da galáxia? Porque a galáxia é o Rio de Janeiro. A Via Láctea é fichinha perto da galáxia de que o nosso querido Eduardo Paes tem a honra de ser prefeito.

***

Você tem o mosquito e a mosquita. O mosquito gosta de frutas, ele não pica nem extrai sangue das pessoas. Quem faz isso é a mosquita. É a mosquita que pica. E quando ela pica, contamina, porque é a mosquita que transporta o vírus da zika.

***

Primeiro, eu queria te dizer que eu tenho muito respeito pelo ET de Varginha. E eu sei que aqui, quem não viu conhece alguém que viu, ou tem alguém na família que viu, mas de qualquer jeito eu começo dizendo que esse respeito pelo ET de Varginha está garantido.

(Ao visitar Varginha, no Sul de Minas)

***

Ontem eu disse para o presidente Obama que é claro que ele sabia que, depois que a pasta de dente sai do dentifrício, ela dificilmente volta para dentro do dentifrício. Eu disse que a gente tinha que levar isso em conta. Ele respondeu que faria todo o possível para que a pasta de dente não ficasse solta por aí e voltasse uma parte para dentro do dentifrício.

***

O município apresentou seu estado de emergência, está liberado. Eu fui lá em Virginópolis… Virgolândia. Ou seja, é perto de Virginópolis – eu confundo porque virgo e virgem é a mesma coisa.

(Em 2013, ao sobrevoar a Região Leste de Minas, arrasada pelas chuvas)

***

E é interessante que, muitas vezes, no Brasil, você é, como diz o povo brasileiro, muitas vezes, você é criticado por ter o cachorro e, outras vezes, por não ter o mesmo cachorro.

***

Uma grande nação é grande porque sua população é grande.

***

Então, aqui, hoje, eu estou saudando a mandioca. Acho uma das maiores conquistas do Brasil.

***

Então, para mim essa bola é um símbolo da nossa evolução. Quando nós criamos uma bola dessas, nós nos transformamos em Homo sapiens ou mulheres sapiens.
(Durante lançamento dos jogos mundiais indígenas)

***

Até agora a energia hidrelétrica é a mais barata em termos do que ela dura da sua manutenção e também pelo fato da água ser gratuita, e da gente poder estocar. O vento podia ser isso também. Mas você não conseguiu ainda tecnologia para estocar vento. Então, se a contribuição dos outros países, vamos supor que seja desenvolver tecnologia que seja capaz de, na eólica, seja capaz de estocar, tenha uma forma de você estocar, porque o vento, ele é diferente em horas do dia. Então vamos supor que vente mais na hora da noite. Como é que eu faria para estocar isso?

***

E eu quero adentrar pela questão da inflação e dizer a vocês que a inflação foi uma conquista desses 10 últimos anos do governo do presidente Lula e do meu governo.
(Durante lançamento da retomada de produção de insulina no Brasil em Belo Horizonte)

***

O dia da criança é dia da mãe, do pai, das professoras, mas também é o dia dos animais. Sempre que você olha uma criança há sempre uma figura oculta, que é um cachorro atrás, o que é algo muito importante.
(Em Porto Alegre, durante a entrega de máquinas e anúncio de investimentos do PAC)

***

Eu sempre escuto os prefeitos. Por que é que eu escuto os prefeitos? Porque é lá que está a população do país, ninguém mora na União, ninguém mora… “Onde você mora?” “Ah, eu moro no Federal”.

***

A Zona Franca de Manaus, ela está numa região. Ela é o centro dela porque ela é a capital da Amazônia.

***

Tudo o que as pessoas que estão pleiteando a Presidência da República querem é ser presidente.

***

Eu vi. Você veja… Eu já vi, parei de ver. Voltei a ver e acho que o Neymar e o Ganso têm essa capacidade de fazer a gente olhar.

***

Eu também vou falar… eu vou falar pouco. Vou explicar por quê: todo mundo, antes de mim, disse que ia falar pouco, não é? E aí, tinha uma senhora ali, na frente, que falou o que todos nós estamos sentindo. Ela disse assim: “Eu estou com fome”. E eu vou levar em consideração ela, que falou uma coisa que todo mundo está pensando, mas não está falando.

***

Eu estou muito feliz de estar aqui em Bauru. O prefeito me disse que eu sou, entre os presidentes, nos últimos tempos, uma das presidentes, ou presidentes, que esteve aqui em Bauru.

***

A mulher abre o negócio, tem seus filhos, cria os filhos e se sustenta, tudo isso abrindo o negócio.

Uma observação

ESSA MULHER

Não consigo mais rir da Dilma. Os discursos tatibitates dela costumavam me provocar escárnio e raiva. Não mais. Por dois motivos: ela está obviamente mal de saúde. Não sei qual médico ou equipe está cuidando dela. Mas o embaralhamento de idéias dos discursos que ela faz mostram como vai seu estado mental. Voltou o câncer, talvez? E ela está se contorcendo publicamente em desespero por ter que enfrentar um diagnóstico terminal? Do ponto de vista humano, essa hipótese me enche de comiseração, sei quão difícil é passar por tal pressão psicológica. De outro lado, uma nação de 200 milhões de pessoas não pode depender de alguém tão conturbada, tartamudeante, perdida em frases desconexas, causando constrangimento nos que a ouvem. Alguém tão fragil pode ser vítima fácil de oportunistas. No tempo da Guerra, Hitler era tratado por um médico que o enchia de remédios que, reportam os especialistas, provocavam exasperações que chegavam ao nível da loucura. Isso pode estar acontecendo com a Dilma. E na ânsia de se afirmar viva, ao tentar prolongar seus lapsos de sanidade, ela pode estar fazendo altas besteiras. Como tem feito aliás, destruindo a economia do país. E pior, jogando no chão as nossas esperanças de mudar esse quadro político maligno, passando descrença no futuro e fazendo de todos nós vítimas das mais sórdidas manobras de politicagem e corrupção. Dilma tem que cair, cada hora que passa aumenta nossa possibilidade de falência, como povo e como nação. Não vou, portanto chorar por ela. Os sinos batem – mas mais por nós.

Renuncie , Dilma…ou seja impixada!

Comentário de Enio Mainardi