Um símbolo da inteligência da Esquerda

Um símbolo da inteligência da Esquerda

Ontem vi no Facebook alguém perguntando “o que é coxinha“, dentro do jargão político.

Faz algum tempo que venho refletindo sobre isso, e sobre como o termo consegue ser revelador sobre o modo presunçoso e prepotente com o qual a Esquerda política lida com seus adversários, no Brasil.

Bom, coxinha originalmente designava um sujeito da classe média, bem de vida, vaidoso, individualista e um tanto mimado. Mas o termo “evoluiu” e se tornou um termo que a turma de Esquerda adotou para colocar no mesmo balaio QUALQUER indivíduo que discorde deles de algum modo, seja conscientemente e fundamentado em algum posicionamento político, seja adotando opiniões prontas da manada de modo completamente alienado.

Sendo assim, coxinha será qualquer conservador ou liberal, ainda que democrata, e é TAMBÉM qualquer doido teocrata, anarquista, fascista, ditador e terrorista (não duvido que nazistas também entrem no balaio), além da classe média em geral e seus muitos alienados políticos, como o sujeito que fez a questão que me inspirou a escrever este texto.

Praticamente todo mundo é coxinha, menos aquele que chama os outros de coxinha.

Como se vê, é mesmo um modo muito inteligente de tratar de adversários políticos.

Nós x Eles

A esquerda tem uma tendência fortemente maniqueísta. Para eles, existem nós, da esquerda, que somos lindos, legais, sensíveis, conscientes, engajados e estamos sempre certos, e os outros, que são feios, bobosmalvados, egoístas e que estão sempre errados. Os outros são sempre chamados ou de reacionários (ou reaças – sempre em tom de xingamento) ou de coxinhas. Ao se referirem a seus opositores, muito raramente se encontra RESPEITO partindo do pessoal da Esquerda, eles que se consideram mais conscientes e mais inteligentes, já que boa parte deles são intelectuais.

Para a esquerda, os reacionários são tão absoluta e absurdamente errados, que não precisam nem ser ouvidos. A esquerda falha miseravelmente ao não perceber, ou não querer ver, que a maioria da população é conservadora, tem algumas ideias retrógradas e, bem ou mal, constitui uma massa de indivíduos cujos interesses deve ser ouvido no debate político, por mais absurdos que esses interesses possam parecer.

Eu acho que é muito fácil pegar todo um grupo, cujo pensamento é matizado em diversas vertentes (conservadora, anarquista, teocrática, liberal, alienada) e enquadrá-los todos, sob o rótulo de reacionários, ou coxinhas, ou ao menos mais respeitosamente: direita.

Isso exime a minoria esquerdista, baluarte da moral humanitária e guardiã da verdade suprema inquestionável, do difícil trabalho de ponderar o que eles, os “reacionários” dizem , e forma um inimigo legal para se posicionar contra.

Ora os reacionários, essa raça terrível que deve ser calada, exterminada e aniquilada da face da terra.

***

Aqui, um texto mais preciso sobre um significado mais comportamental e menos político do termo coxinha.

E aqui, um texto excelente do Lobão sobre o tema, para a revista Veja.