Este pais não pode dar certo. Aqui prostituta se apaixona, cafetão tem ciúme, traficante se vicia e pobre é de direita.

Tim Maia, sobre o Brasil

É, Tim… isso porque você não viveu para ver feministas defendendo muçulmanos.

Autores, jornalistas e militantes de esquerda brasileiros, consideram líderes evangélicos como Feliciano e Malafaia o verdadeiro horror, símbolos de intolerância e preconceito. Mas defendem muçulmanos como se fossem seres angelicais.

Não enxergam que se muçulmanos tivessem o mesmo nível de presença e poder aqui no Brasil, como têm esses dois figurões evangélicos, esses mesmos autores, jornalistas e militantes já teriam sido fuzilados há tempos!

Eu não consigo defender cuidados especiais com um grupo de pessoas cuja religião dá margem para o surgimento de certos grupos menores que consideram normal mulheres andarem todas de preto exibindo apenas os olhos.

Muçulmanos vêem a vida diferente. Existe uma minoria extremista. Mas a maioria vê com naturalidade ações extremamente radicais, como apedrejar mulheres, fazê-las andar de burca, fuzilar homossexuais, cortar a mão de ladrões. E uma vez que grupos muçulmanos se reestabeleçam em locais diferentes do mundo, reproduzirão esse sistema moral. E uma vez que se fortaleçam demograficamente, vão querer mais e mais poder.

(A civilização ocidental) consiste em um sistema de valores que deu ao povo ampla prosperidade nos países que a adotou e garante o respeito pelos direitos humanos e a religião. Isso certamente não existe nos países islâmicos. Silvio Berlusconi – Ex-primeiro ministro italiano

Me sensibilizo muito pela situação desumana dos refugiados sírios e de todo imigrante islâmico. O ideal é que sejam acolhidos. Mas que sejam também colocados e mantidos em seus devidos lugares.

Mulheres e o Islã

Não sei qual a procedência do vídeo, mas pela dor estampada nos olhos dela, parece autêntico.

Quando vemos mulheres relativizando questões relacionadas ao islamismo, só há a certeza de que não sabem o que estão fazendo.

Por que neste vídeo, temos um caso relacionado ao ISIS, mas toda a moral islâmica considera a mulher – em maior ou menor grau – como um bicho procriador. Na melhor das hipóteses, as obriga a usar véus, quando não, burcas. Na pior das hipóteses, a levarem chibatadas ou terem seus rostos corroídos com ácido se cometem adultério ou quebram as regras do alcorão.

Enfim, acredito que toda mulher ocidental em sã consciência deveria se posicionar absolutamente contra o islã e contra a disseminação desse modo doente de ver o mundo, seja pela Europa, pelo Brasil, pela Lua ou pelo sistema solar.