[…] Outra parte é permitir-se que as emissoras mantenham seus horários nobres ocupados por programações alienantes, ocas de conteúdo e imbecilizantes.

Pior ainda, preconizando violência, degeneração familiar, amoralidade e claros direcionamentos de natureza puramente econômicas.

Tudo por conta de seus donos e prepostos.

O sentido é único: não importa o conteúdo e nem o horário, desde que renda bons lucros.

Aderbal Machado (o link para o original foi removido)