As cores do problema sempre são verde e amarela

As cores do problema sempre são verde e amarela

Se é um assunto que tenho dificuldade de formar uma opinião (não que isso seja importante) é sobre essa questão dos médicos cubanos.

Quem é a favor, cita a elitização da classe médica brasileira, a qual sabemos que ocorre. Quem é contra, cita o descaso do governo com a estrutura da saúde pública e com a formação de novos profissionais.

Médico é um profissional vital para a sociedade. Precisamos deles como precisamos de quem produza nosso alimento, ou como quem fabrique nossas roupas. Deveria haver, portanto, um número mais abundante desses profissionais em meio ao povo, que tanto precisa deles.

Se há poucos profissionais assim na sociedade brasileira, esta mesma sociedade falhou, e sabemos que há de fato poucos médicos para a população, na medida em que até quem pode pagar consultas particulares tem encontrado muita dificuldade em conseguir agendar uma consulta.

Se a classe médica se elitizou, e está mais preocupada em ganhar bem, do que em tornar as pessoas mais saudáveis, esta sociedade falhou.

Se a relação de candidatos por vaga, para o curso de Medicina na UFSC gira em torno dos impossíveis 103 c/v, e se um curso particular de Medicina custa em torno de 3000 reais por mês (isso mesmo, TRÊS MIL REAIS POR MÊS) na universidade da minha cidade, e MESMO ASSIM apresenta uma relação de candidatos por vaga de… pasmem, 57 c/v, enquanto a média dos outros cursos gira em torno de apenas 2 c/v, tornando a profissão inacessível e prejudicando a formação de mais profissionais, a nossa sociedade falhou.

O problema não é trazer médicos de Cuba, ou de qualquer outro lugar do mundo, ainda que seja uma solução paliativa. Talvez importar médicos seja mesmo uma solução viável a curto prazo. O problema, MESMO, é não melhorar a infra-estrutura para formação de novos profissionais brasileiros AQUI no Brasil. E continuar com essa estrutura precária que a saúde pública oferece aos profissionais que já estão atuando pais afora.

O problema é não mexer na raiz do problema.

O problema mesmo, é continuar falhando.