Uma justa punição para a corrupção: fazer o corrupto COMER o dinheiro que roubou.

Uma justa punição para a corrupção: fazer o corrupto COMER o dinheiro que roubou.

Você percebe que a pessoa não sabe o que tá dizendo quando sai protestando arduamente contra o PT, como se o PT (ou a Dilma) fosse o responsável pelo circo que isso tudo virou. Bem que o Lula tentou nos convencer que ele inventou o Brasil, mas não, ele não é tão poderoso assim.

A corrupção é uma praga, uma epidemia, uma doença mental que vem desde a vinda da família real (e dos sanguessugas da corte) portuguesa pra cá, em 1808. A corrupção subsistiu a independência, o período regencial, o segundo império e a proclamação da república. Ou você acha que essa gente toda, Pedro primeiro, Padre Feijó ou o Marechal Deodoro eram gente totalmente íntegra?

Esta praga,a corrupção, que vejo como um desvio de conduta doentio e criminoso, que bem que merecia um projeto de cura do Feliciano, veio se alastrando desde a primeira república, passou por Getúlio Vargas, por Juscelino, que quebrou o país pra construir Brasília e chegou nas mãos do João Goulart, que não guentou o tranco. Criou raízes fortes durante o regime militar e passou de mãos em mãos pelos governos Sarney, Collor, Franco, FHC, Lula e enfim, no governo da Dilma.

Então o que poderíamos esperar de uma nação que se fundamentou sobre a corrupção?

Que um partido a resolvesse magicamente?

Para a mudança ocorrer efetivamente, tem que partir das pessoas; tem que parar com o jeitinho e passar a fazer a coisa certa, porque a coisa certa é a coisa certa a se fazer (sic). Se durante seu dia a dia você não faz a coisa certa porque os outros também não fazem, ou porque ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão, ou por qualquer outra desculpa esfarrapada, então você merece exatamente o cenário político que tem recebido.