Preste MUITA atenção

Preste MUITA atenção

1) O sexo tende a regular os períodos menstruais

Aparentemente a atividade sexual regular pode melhorar o seu ciclo menstrual. O sexo regula os hormônios que por sua vez regulam o ciclo menstrual. O sexo também reduz o estresse que é uma das razões para a irregularidade do ciclo feminino. Sendo assim, o sexo parece ser uma opção bem melhor do que remédios.

2) O sexo reforça sua imunidade

Você vive gripada ou com coriza? O sexo é uma possibilidade contra os males do frio e outros problemas de saúde. Ele traz impulso à sua imunidade. A imunoglobulina A, um antígeno que luta contra o vírus da gripe e outros, aumenta no sangue na medida em que a frequência sexual aumenta.

3) Sexo durante a menstruação não é necessariamente prejudicial

Fazer amor durante o período menstrual não é em si uma experiência ruim. De fato, muitos estudos tem provado o contrário: Durante o período menstrual, o sexo pode ser mais satisfatório e prazeroso.

4) Faz você rejuvenescer

Fazer amor três vezes por semana pode fazer você parecer dez anos mais jovem, diz um estudo escocês: “É bom para você ter bom sexo”, diz David Weeks, um neuropsiquiatra clínico do Royal Edinburgh Hospital, que estudou os efeitos do sexo nos sinais de envelhecimento em seu livro Secrets of the Superyoung (Segredos dos Super Jovens).

5) Homens e mulheres ADORAM sexo

Vivemos e realimentamos o mito de que homens gostam mais de sexo do que as mulheres. Quem reproduz esse discurso na verdade vive uma vida sexual bastante limitada. Os homens, porque não conseguiram fazer uma mulher delirar de prazer na cama (o que mudará a opinião dela sobre sexo) e as mulheres, porque ainda não encontraram um homem que as faça se perder de prazer. Lamentável, mas compreensível. Só gostamos do que experimentamos BEM, mas na medida em que sabe-se que grande parte da população têm uma vida sexual precária, se é que tem uma vida sexual, não é de se admirar que muitas pessoas ainda possuam visões bastante retrógradas sobre o sexo.

Não há evidência científica que ampare o mito de que homens gostam mais de sexo do que as mulheres. Talvez as normas sociais limitem a expressão das mulheres com respeito ao sexo e ao prazer. Mas pensar que mulheres não foram feitas para gostar de sexo tanto quanto homens é incorreto e falso.

6) Terapia sexual e aconselhamento são efetivos

Se seu desejo ou sua vida sexual andarem meia boca e todas as tentativas de recuperá-la falharem, e você continuar experimentando baixo desejo sexual, pode procurar por terapeutas sexuais. Terapeutas podem ajudá-lo(a) a pôr seus sentimentos e seus pensamentos em ordem. Vão ajudá-lo(a) a lidar com a possível falta de comunicação, inseguranças e outras questões sexuais que podem estar minando sua vida sexual. Podem também sugerir estratégias de ação para você resolver e superar seus problemas sexuais.

7) Uma vida saudável é necessária

Nunca é tarde para voltar a botar seus músculos para trabalhar e voltar a se sentir jovem e ativo(a). Boa alimentação, algum tipo de exercício e o afastamento dos exageros de uma vida desregrada certamente resultarão numa vida sexual equilibrada.

8) Impotência sexual é tratável

As disfunções eréteis são perfeitamente tratáveis. Já falei sobre os aspectos psicológicos delas aqui. Além do aspecto psicológico, há também algumas dicas que podem ser seguidas, pelo bem de sua saúde sexual: Consuma pouco álcool, evite o fumo, pratique alguns exercícios físicos, siga uma dieta saudável. Nada que nós homens já não tenhamos ouvido, mas que ignoramos como crianças insolentes.

Além da terapia psicológica e alopática, há também vários remédios naturais que podem ser usados, consulte um especialista em fitoterapia.

9) Induz ao sono e reduz o estresse

O orgasmo tem um efeito calmante nas pessoas e também ajuda a dormir melhor. O sexo relaxa, e se você já estiver cansada, ele vai induzi-la ao sono. No caso específico dos homens, após a ejaculação, eles ficam letárgicos, o que também os ajuda a dormir.

A intimidade sexual também promove e fortalece a relação, o que por consequência reduz o estresse e confere a autoestima fundamental que resulta numa melhor sociabilidade. O sexo na verdade trabalha de modo muito semelhante ao dos exercícios físicos.

10) O sexo ameniza a dor

O corpo libera um hormônio chamado oxitocina, antes e durante o orgasmo. Considerados como analgésicos naturais, esses hormônios reduzem a percepção da dor, aumentando o limiar de tolerância à dor.

Um estudo realizado pelo sexólogo Beverly Whipple afirma que “quando uma mulher se masturba até alcançar o orgasmo, tanto o limiar de tolerância à dor, quanto o aumento do limiar de detecção de dor se elevam significativamente para 74,6% e 106,7%, respectivamente.”

Além deste hormônio, outro analgésico natural liberado durante o orgasmo é a conhecida endorfina. O efeito primário deste hormônio é a percepção positiva do ambiente ao lado do decréscimo da percepção de dor.

11) Exercícios sexuais

Para as mulheres, fortalecer as paredes vaginais e a base pélvica com os exercícios Kegel podem ajuda-la a conseguir orgasmos ainda melhores. Se informe melhor sobre esses exercícios e vá a luta :)

12) Gera confiança e intimidade

A oxitocina é conhecida como o hormônio responsável pela nossa sensação de felicidade e de nos  sentirmos amados. Se você sente que sua relação está decaindo, ou que algo anda errado, então um bom sexo pode dissipar essas dúvidas. A oxitocina contribui para a aproximação emocional das pessoas, em especial, dos casais.

13) Sexo traz efeitos psicológicos positivos

O engajamento numa intimidade física com o ser amado reequilibra nossas condições psicológicas. O sentimento de satisfação aliado com a melhora da vida sexual eleva a autoestima. Dessa forma a pessoa se sente mais apta a comunicar-se com seu parceiro de modo mais íntimo e honesto. Assim, qualquer tipo de ferida emocional pode ser curada e uma sensação de bem-estar mental alcançada.

14) A excitação está na mente

Isabel Allende diz sabiamente que “as mulheres gostam que lhe digam palavras de amor; que o ponto G está nos ouvidos. E que é inútil procurá-lo em outro lugar”. Poucos entendem o que ela quer dizer. Mas uma vez compreendido, este aspecto torna o sexo uma atividade verdadeiramente superior.

Acredito que há um grupo grande de pessoas para quem a excitação é mais corporal e instintiva do que mental. Mas creio que há um amplo grupo de pessoas para quem a excitação é mais refinada, sensorial e mental, o que se enquadra com o que Isabel Allende afirma.

Isso na verdade vale tanto para homens quanto para mulheres, embora os homens possam ser mais travados em relação a isso. Porém o fato é que a excitação vem do sentir-se amado, importante e imprescindível. Saber expressar isso ao parceiro, com elogios e outras palavras, e de modo autêntico, é uma arte. Que só as pessoas fortes conseguem realizar, porque poucos conseguem ser tão abertos assim com o parceiro. Exige coragem e cumplicidade.

Situação esta que, depois de alcançada, leva o relacionamento para outro patamar.

Este texto, já bastante citado aqui, aprofunda o assunto.

***

Texto original que inspirou este post.