Este texto é muito pessoal. É baseado em observações e crenças muito pessoais. Se você discorda do que está escrito abaixo, se considerar algum ponto (ou tudo) como bobagem, espero que compreenda minha intenção de compartilhar visões que podem sim, fazer algum sentido para quem mantém visões de mundo semelhantes, de caráter mais holístico.

Este é o primeiro texto de uma sequência. Leia os outros 2, 3, 4

***

Entre 2008 e 2009, li muito sobre educação financeira (Veja minhas resenhas dos livros lidos: aqui, aqui e aqui). Aprendi MUITO, e, de forma indireta, toda aquela leitura me ajudou muito a chegar numa situação atual bem favorável. Mas a essa altura do campeonato já não é mais necessariamente o mero – e talvez improvável – enriquecimento que me motiva a compartilhar o ponto de vista abaixo. E sim um real entendimento do porquê haver tantas diferenças entre o êxito financeiro das pessoas.

Partindo do pressuposto de que nós e tudo o que nos rodeia não seja resultado do mero acaso (há quem pense que é), o fato de alguns possuírem muito – sem muitas vezes terem feito por merecer – e outros possuírem pouco – também a despeito de se esforçarem para tal, é uma observação/constatação atordoante. Por que duas pessoas trabalhando a mesma quantia de horas, uma ganha X e a outra ganha n vezes X ???

Outra situação: Por que nós, os cidadãos médios, nos sentiríamos enriquecidos caso formássemos uma quantia de um milhão de reais na conta bancária, e outro sujeito, um bilionário, se tiver a mesma quantia se sentiria um fracassado, ou no mínimo, quebrado? E por que é mais fácil um bilionário recuperar seus bilhões eventualmente perdidos, do que nós formarmos nosso primeiro milhãozinho???

Essas diferenças entre o nível de valor pessoal entre os indivíduos representado por suas riquezas se deve a quê? Estudo? Especialização? Experiência? Sorte? Senso de oportunidade? Quem sabe uma mistura disso tudo? Há várias teorias e receitas para se chegar lá, demonstradas em livros e mais livros, cada qual apontando um determinado fator principal que, após desenvolvido, o(a) levará à riqueza. Mas o que aprendi de mais importante lendo livros sobre riqueza é que não é lendo livros sobre riqueza que você vai enriquecer. Eles mostram o caminho, mas trilhar o caminho é um desafio para toda a vida.

Índice de grandeza pessoal

Será que há mesmo uma característica única, pessoal e íntima que define esses níveis de riqueza com as quais a pessoa lida?

Eu creio que há, sim!

E seria mais ou menos o que o autor T. Harv Eker, do livro Segredos da Mente Milionária chama de “o termostato do dinheiro”. Uns estão programados para lidar com centenas de Reais. Outros, com milhares. Outros ainda, com milhões. E por fim, indivíduos raros como Donald Trump, Bill Gates ou Warren Buffet estão programados para lidar com bilhões.

Mas eu denominaria essa característica íntima que define o valor próprio e por consequência o valor transferido às próprias realizações e posses como GRANDEZA PESSOAL. Ou seja, quanto mais completo você for como ser humano, mais rico será.

Não uso o termo grandeza aqui como magnanimidade, bondade ou desprendimento, pois tudo que muitos ricos não são é magnânimos. Uso o termo grandeza no sentido de força pessoal e completude. E para ser alguém completo (o que ainda assim é um termo relativo), terá que desenvolver várias habilidades e características pessoais que o(a) levarão ao êxito financeiro.

Então, embora eu tenha corrido atrás de um único fator que definisse o nível de riqueza de alguém, acabei percebendo que esse fator – que poderia ser chamado de índice de grandeza pessoal – pode ser considerado como um índice que soma todas as habilidades necessárias para se alcançar a riqueza. E elas são várias.

Embora não seja tão simples, ainda assim, é como se fosse uma receita. Para se chegar a um certo resultado – ser rico – deve-se obter e misturar toda uma variedade de ingredientes – características pessoais – em determinadas medidas e quantias e ainda dentro de certos processos e sequências. E tão óbvio quanto esta premissa, é a consequência dela – se algum ingrediente faltar, ou seja, se você faltar com alguma característica pessoal relacionada a riqueza, o resultado estará comprometido, ou seja, seu sonho de riqueza não será alcançado, ao menos não agora, ao menos não completamente, até que você, após intenso auto-aperfeiçoamento, desenvolva todas aquelas características que conduzem à riqueza.

***

Este é o primeiro texto de uma sequência. Continue lendo os outros 2, 3, 4