Embora a revista Veja seja muito questionada por sua posição politica explicitamente conservadora, acho interessante observar aqui que alguns dias após a escrita deste meu texto, que segue mais abaixo, o colunista Rodrigo Constantino publicou um interessante artigo no site da revista denominado “A Seita Marxista” (clique e leia), o qual embasa bastante este meu ponto-de-vista aqui, mais pautado em observações pessoais.

***

Uma postura que não dá pra entender sem que adentremos para o campo da crença e de seu natural desprezo pela razão e pela observação dos fatos e da realidade, é esse mergulho de cabeça que alguns esquerdistas fazem nos conceitos da esquerda política. Como se o ideário esquerdista fosse o catecismo de uma doutrina da salvação, e o caminho para uma sociedade mais bela e justa.

Transformaram a Esquerda em “esquerdismo” e se submetem a ele como quem se submete a uma religião dogmática.

Como nenhuma religião sobrevive sem um inimigo, encontraram facilmente um para eles: O CAPITALISMO.

Para muitos socialistas, o dinheiro é uma entidade maligna e tentadora, e Marx é nosso único senhor e salvador ;)

Chega a dar pena de tanta miopia intelectual; de tanta vontade de ACREDITAR.

Há, é claro, um lado bonito nisso. É o lado humanitário que eles trazem consigo.

O modo como defendem e lutam pelos mais fracos é, sim, bonito e necessário.

Porém isso é levado muito além do razoável, e isso os impede de enxergarem o mal que um ser humano pode praticar.

Ai esse capitalismo maligno

Ai esse capitalismo maligno

A imagem acima eu retirei da página da Socialista Morena. É uma moça que se diz socialista e coleciona em sua página ou site fatos ou argumentos contra o capitalismo, e a favor do socialismo, como praticamente todo esquerdista faz.

Na imagem vemos um desses fatos contra o capitalismo. Claro que a notícia é lamentável, triste mesmo. Mas é o capitalismo mesmo o culpado por esse fato? Ou não são os humanos, gente como a gente, porém sem coração, que permitem esse tipo de atrocidade?

Ora, o capitalismo não existe, não tem cara, não tem forma. Ele é o coletivo de todos nós. Capitalismo é coletivo de egoísmo. É o egoísmo dos bancários (que ela se refere como ganância bancária) que está tirando a casa das mulheres por apenas 3000 reais, e não o capitalismo, o qual simplesmente PERMITE que nossa sociedade funcione, e se sustente, e, se bem conduzido – o que nem sempre acontece – que a sociedade progrida.

Observe como ela tem dificuldade de se referir a pessoas. Há uma dificuldade em admitir que o ser humano possa ser tão pérfido. Para esquerdistas, é preferível pensar que é o capitalismo, essa entidade sobrenatural e maligna, que fica o tempo todo atentando o ser humano para agir de modo DESumano. Ela prefere se referir ao capitalismo, ou a ganância bancária, e não aos bancários, homens gananciosos sim, que destroem vidas como a das mulheres da imagem, diariamente.

Nem conservadores, nem humoristas acreditam que o homem é bom. Mas os esquerdistas acreditam.
P. J. O´Rourke – Humorista e comentarista político americano.

O capitalismo, assim como o dinheiro, são forças neutras. Somos nós, humanos, que damos um destino para eles. Ser contra ou evitar o dinheiro não vai resolver o problema da miséria no mundo. Mas direcioná-lo de forma humana e construtiva, sim, vai conduzir o mundo para um progresso não só material, mas também, humano.

***

Sou a favor de praticamente todas as propostas esquerdistas: mais distribuição de renda, mais cuidados com os mais pobres, mais humanidade e menos materialismo nas relações humanas.

Mas não vejo inteligível, nem razoável a repulsa que eles manifestam pelo dinheiro, pelo capitalismo e pela acumulação (suficiente) de bens e riquezas. Me parece mais um caso para terapia.

Sobretudo, enxergo que eles não entendem como o mundo funciona. Eles querem um sistema alternativo, que chamam de socialismo. E que nunca funcionou bem, nem na extinta União Soviética, nem na China, nem na pujante Cuba. Tentaram, não deu certo, e não enxergaram (ainda, e talvez nunca vão enxergar) que também o socialismo precisa de dinheiro para se manter, e que para se gerar dinheiro, é preciso gerar-se valor, isto é, riquezas materiais.

O socialismo precisa do capitalismo, precisa do sistema industrial, precisa dos lucros e precisa do dinheiro.

Ou talvez o capitalismo e o uso do dinheiro precisem ser mais socialistas. Não importa.

Sempre vou apostar num meio termo.