sair-das-dividas

Leia antes: Como sair das dívidas – Parte 1 / Como sair das dívidas – Parte 2

Já falei sobre educação financeira e sobre como sair das dívidas nos textos linkados acima. Existem vários motivos para se estar endividado: Desorganização, compulsão, mania de grandeza, falta de noção de limites, entre outras causas. Mas com um pouco de observação, você notará que todas essas causas citadas são a mesma coisa. Se não, ao menos se relacionam entre si.

Creio que a sua saída para a situação na qual se envolveu, de um ponto de vista comportamental, seria passar por algo que posso chamar de “CHOQUE DE CONSCIÊNCIA”. Falei bastante sobre isso nos dois artigos anteriores. E vou tentar abordar novamente esse “choque” agora de outro modo.

Você precisa saber quem é, e para onde vai. Filosofias à parte, é fundamental saber o que se quer da vida, para sair da confusão em que se vive. Se você quer comprar um carro, ou terminar de pagá-lo, por que comprar DVDs que vai assistir uma ou duas vezes e depois ficará guardado? Por que comprar roupas e mais roupas sabendo que algumas serão usadas uma vez apenas e depois vão mofar em seu guarda-roupa?

Resumindo, estou falando de NOÇÃO DE PRIORIDADE. O que é prioridade neste momento? Então concentre seus esforços (e suado dinheiro) para resolvê-lo. Um pouco de sacrifício pode ser necessário. Nem sempre é possível TER TUDO AO MESMO TEMPO, mas ninguém vai morrer por isso. Dessa forma, uma das melhores formas de sair das dívidas, por mais óbvia que seja, é parar de fazer novas dívidas e ir negociando e pagando pacientemente as dívidas antigas.

Dentro do que chamo de CHOQUE DE CONSCIÊNCIA, um aspecto fundamental é saber lidar com o dinheiro. E isso não se reduz a saber conferir o troco da padaria. O mandamento básico da lida com o dinheiro é, para mim, o seguinte:

VIVA COM MENOS DO QUE GANHA!

Pronto! Está dado o recado, beleza?

Tchau, até mais!

;)

Estou brincando… Creio que a PRÁTICA do “mandamentinho” acima resolve a vida de qualquer um. Para se viver com menos do que se ganha, em primeiro lugar, é preciso GANHAR alguma coisa. Ok, você pode sair por aí roubando a primeira loja, mas sugiro que vá trabalhar porque encontrará menos problemas, está dentro da lei e tal; e vai lhe proporcionar CRESCIMENTO INTERIOR. Trabalhar dignifica e engrandece o homem.

Depois, para viver com menos do que se ganha, é preciso SABER QUANTO SE GANHA, e QUANTO SE GASTA, e só nessa tarefa, você vai gastar alguns neurônios. Mas vai ser bom. Você vai progredir bastante. Vai exercitar as continhas que penava para aprender no colégio. Vai ter que SE DISCIPLINAR para anotar seus gastos diários. Sim senhor, anotar os gastos e o dinheiro que entra TODOS OS DIAS, e somá-los ao final de cada mês. Vai se sentir o CRAQUE das finanças.

A certa altura do campeonato você vai se questionar acerca de algumas constatações. Talvez caia na real e veja que NÃO GANHA TÃO BEM quanto pensava. Talvez perceba que precisa GANHAR MAIS. Talvez decida se instruir, se reciclar profissionalmente, enfim, tenho certeza que boas decisões virão a partir do momento em que você saber precisamente QUANTO GANHA, QUANTO GASTA e o quanto essa situação atende as suas expectativas financeiras.

A seguir, em se sabendo o quanto SE GANHA e o quanto SE GASTA, fica mais fácil PRIORIZAR a saída das dívidas, e ajustar a vida. Se a conta der negativa (se no fim do mês o valor dos GASTOS for maior que o valor dos GANHOS), vai ter que cortar os excessos. Priorizar o básico e por fim se conceder algumas indulgências, ou agrados, porque ninguém é de ferro. Mas é possível VIVER BEM sim, sensatamente, com uma vida financeira AUSTERA. Austeridade, está aí uma palavra cujo significado vale a pena praticar. Ser escravo de prazeres bobos ou efêmeros não é lá muito interessante… ou é? Gosto é gosto e como eu disse, algumas indulgências você vai ter que se dar, senão a vida perde a graça. Economizar DEMAIS se torna uma prisão.

Por último, a recompensa. Quando você, por fim, conseguir VIVER COM MENOS DO QUE GANHA, vai notar algo surpreendente no fim de cada mês. Algo antes impossível acontecerá: SOBRARÁ DINHEIRO NA SUA CONTA. Mas…

Não é pra sair gastando feliz da vida. É para GUARDAR. Isso mesmo. POUPANÇA. E não é para guardar pensando nos dias ruins, porque assim, eles virão. É para guardar para crescer na vida. Um pouco de pensamento positivo nunca faz mal. Embora o intuito aqui não seja ENRIQUECER, mas primeiramente SAIR DAS DÍVIDAS, esse é o caminho das pedras para a riqueza. Ninguém fica rico gastando, mas poupando e investindo.

A partir de então, vem a parte dos investimentos. Não dá pra deixar dinheiro guardado. É bom colocá-lo a serviço da sociedade para que ele retorne com dividendos. Mas essa parte não me compete, porque é algo que eu também estou aprendendo, portanto não tenho muito o que falar.

Tudo que eu falei aqui, pratico religiosamente, e mudou minha vida.