Amém

Amém

As idéias são perigosas. Idéias conflitantes em mentes polvorosas então, provocam guerras como as do oriente médio. Ausência total de idéias também; alimentam cabeças vazias e cabeça vazia, você sabe, é a oficina do diabo.

O ser humano só é o que é pela sua infinita capacidade de ter idéias. Idéias são a essência do progresso humano e também sua perdição. Assim são quando as pessoas vivem sem serem capazes de distinguir entre o que é uma idéia e o que é a verdade. Porque grande ou pequena, uma idéia não passará nunca de uma idéia, já a verdade… quem dirá que a conhece?

Algumas pessoas vivem imersasem sistemas de idéias e são incapazes de distinguir quem são, onde estão, ou de remeter-se a sua essência. Apegam-se a rótulos, a ideologias, sem enxergarem que esses sistemas tem seus limites e que são apenas mais uma ideologia dentre tantas outras existentes no mundo. Entretanto isso acontece a praticamente todos. Quase todos vivem, por exemplo, imersos no mundo do seu trabalho. Devido ao cansaço e a falta de tempo, são incapazes de cultivar outros gostos ou interesses.

Mas há um momento em que somos abruptamente remetidos a nossa essência. São ocasiões extremas, de doenças, de poucos recursos financeiros, de morte, todas humilhantes. Perdemos nosso ego e encontramos a nós mesmos. Porque as idéias são do mundo, mas dentro de nós vive uma essência humana e espiritual. Foram vários os escritores que já chegaram à conclusão de que o intelecto não passa de um brinquedo ou que não tem (tanta) importância quanto supõe os que brigam por suas idéias, isto é, aqueles que sentem uma necessidade vital de estarem certos.

O intelecto nao é uma coisa séria, nunca foi. É um instrumento para a gente brincar e só.
Oscar Wilde

Travamos batalhas a vida inteira, vivemos imersos sob nossos tormentos, somos incapazes de enxergar um palmo adiante. Mas é só tropeçarmos e pronto, um mundo novo e nem sempre agradável se vislumbra ao nosso redor. Nem sempre agradável porque esse mundo somos nós, nós como almas, como seres espirituais vivendo uma experiência material, mundo o qual ignoramos irrefletidamente.

Este aspecto que tenho colocado aqui, confunde-se por vezes com questões práticas do tipo: Qual sua capacidade de refletir sobre o todo em relação as partes? E mais, qual sua capacidade de visualizar o todo, mesmo lidando constantemente com os detalhes? Visão global, ou de conjunto x Detalhes, ou unidades…

Como você se porta em relação a isso? Briga cegamente pelo seu time de futebol porém mal dá conta de viver com seus rendimentos? Vive a vida toda sofrendo com sua doença enquanto não enxerga que sua mente vive num turbilhão inútil de pensamentos e sentimentos destrutivos, os quais comprovadamente influenciam sua saúde? Ou quem sabe você vive a espera daquele grande amor, aquele amor perfeito que irá suprir todas as suas necessidades psicológicas, porém vê o ser humano ao lado com descaso…

Quando adotamos maior senso prático em nossas vidas, quando aprendemos a identificar o que REALMENTE IMPORTA, quando entendemos que efeitos indesejados em nossa vida certamente vêm de causas inúteis (normalmente nós mesmos), então sim, aprenderemos a ver a vida com mais objetividade e vamos parar de brigar, brigar e brigar e no fim das contas, continuar sem conseguir nada.

Cartoon

Texto de julho de 2008.