Colocando a coisa ruim pra fora!

Colocando a coisa ruim pra fora!

Você costuma ficar com pensamentos repetitivos na mente? Às vezes discute com alguém e depois fica o resto do dia (e da noite) remoendo aquela discussão na mente? Você fica brigando com você mesmo porque não fez, não faz, não vai fazer qualquer coisa?

Tenho uma sugestão que pode lhe ajudar. É escrever sobre o que lhe aflige a mente. É aquela coisa do desabafo. Se você tem a quem desabafar seus problemas, então certamente nem passa por essas “neuras” mentais. Mas muitas vezes não temos com quem desabafar.

Ou…

Particularmente, prefiro não ficar aporrinhando os outros com meus problemas. Lembre-se, pessoas negativas que só enxergam o lado ruim das situações não são lá muito agradáveis, por mais que as amemos ou consideremos. Por isso pessoas bem humoradas vivem rodeadas de gente, porque sabem encontrar graça mesmo em meio a desgraça.

Enfim, minha mente não pára. Não me dá descanso. Fica o tempo todo discutindo consigo mesma todas as questões que observei durante o dia. Bom, esqueci de dizer mas isso me incomoda especialmente a noite, quando nada mais de relevante pode ser feito e o consenso sugere que aproveitemos o tempo para dormir e… descansar a mente. Mas a minha tem uma inércia diferente. Demora a pegar no tranco (de manhã) mas depois que embala não quer mais parar. Mas…

Desde adolescente adquiri o hábito de “desabafar” escrevendo. Especialmente depois que descobri que a Madonna também tinha esse hábito catártico. Catarse, você deve saber, é um processo químico que acelera a transformação das substâncias. Em palavras simples, é isso. Daí vem o catalisador do carro que transforma os gases nocivos em gases menos nocivos ao ambiente, acelerando seu processo de transformação.

A escrita tem essa qualidade catártica para quem costuma escrever sobre os problemas que considera “insolúveis”. E tenho percebido isso acontecendo frequentemente comigo em relação a este site. Quando fico com um assunto na cabeça, vai ficando por dias e dias consumindo um tempo que eu poderia estar fazendo algo melhor, até que um dia, lerdo que sou, decido escrever sobre o tal tema, criando um texto mais ou menos ajeitado e posto aqui.

Pronto, parece realmente uma libertação.

Bom, está dada a dica.