Branquela sim, e daí?

Branquela sim, e daí?

A opressão da moda

Nesta ânsia de seguir a moda, isto é, seguir regras de beleza para não ficarem de fora de um padrão criado sabe-se lá por quem, as mulheres vivem arrumando sarna pra se coçar!

…para depois reclamarem que estão sobrecarregadas.

Particularmente, acho que as mulheres poderiam largar algumas necessidades muito presentes no dia-a-dia, as quais aliviariam um pouco – segundo elas mesmas afirmam – o fardo de ser mulher. 

Cito algumas dessas “necessidades”:

Pele e bronzeado

Como dito no texto anterior sobre bronzeado, acho que as mulheres bem que poderiam largar mão dessa obsessão pelo bronzeado. Tipo, quer ir na praia, vai! Quer curtir um banho gostoso de mar, curte! Uma tarde na praia, numa cadeira na beira das ondas, as ondas molhando os pés, enfim, é tudo de bom. Mas façam pelo momento, pelo descanso, pelo vento na cara. Não pra ficar da cor de amendoim torrado.

Tenho curiosidade de saber onde foi que surgiu esse mito de que pele bronzeada deixa as pessoas – em especial as mulheres – mais bonitas. Quando é que a mulherada vai perceber que o grande embelezador, unissex e universal, é a AUTENTICIDADE?

E, repetindo pra você entender, não é só porque ficar na cor de amendoim torrado é uma ambição besta e um tanto fútil. É porque o sol acelera o processo de envelhecimento e nenhum bloqueador solar oferece uma proteção integral.

Então é insano se expôr todo o verão ao sol (como a maioria ainda faz) e dez anos depois ficar passando cremes rejuvenescedores.

Velha é a vó!

Velha é a vó!

Cabelos brancos

O segundo é essa mania que elas tem de ficar apavoradas com os primeiros cabelos brancos. Morrem de medo de não se enquadrarem nos padrões. Que mentalidade… Não sabem que o que deixa uma mulher irresistível para qualquer homem é uma personalidade rica, agradável, divertida, inteligente, companheira. Ah, mas se eu não me cuidar meu marido vai perder o interesse por mim. Sim, se você não se cuidar, o que é diferente de você continuar querendo alterar sua natureza. Um cabelo feminino grisalho estiloso é de uma elegância sem igual. E como são admiráveis as pessoas que assumem suas características naturais autenticamente ;) Eu tiro o chapéu!

Algumas nem precisam de cabelos brancos para os encher de tinta. E mexe aqui, e mexe dali, e nunca estão satisfeitas. Porque não percebem que a satisfação, quando existe, vem de dentro pra fora, e não o inverso. A satisfação vem do sentimento de competência pessoal, e não dos malabarismos com o seu cabelo. A verdade, aquela que os maridos não têm coragem de dizer para não magoá-las, é que a maioria dessas mudanças no cabelo só pioram a situação.

De modo geral, estão pagando para ficarem mais feias.

É complicado dar muita atenção à própria aparência sem dar a devida e proporcional atenção à própria personalidade. Não adianta sair da cabeleireira com um cabelo de artista se você continua com sua personalidade sem graça que só dá atenção e só sabe falar sobre banalidades. Quer aparecer bem, apareça, mas tem que ter conteúdo para sustentar essa exibição toda. Caso contrário, vai destoar, todos vão perceber e você estará achando que está impressionando quando na verdade está é enganando a si mesma.

Cabelos lisos x cabelos encaracolados

Esse assunto me deixa irritado, em especial, com a publicidade mercenária que não quer o bem das pessoas, quer tão somente vender, vender e VENDER.

De uns anos pra cá, vínhamos vivendo a ditadura da chapinha. E dá-lhe a mulherada comprando chapinhas e pagando caro para as cabeleireiras alisarem seus cabelos. Algumas mulheres que já tinham os cabelos lisos pagavam para deixá-los na moda a vaca lambeu. Finos, sem volume algum e caídos demais ou… ridículos.

Então agora, há poucas semanas, no canal Polishop, que é um canal que vende soluções para os problemas que você não sabia que tinha, vi um produto que ONDULA os cabelos, para você que se cansou do seu cabelo liso e sem-graça.

OPA!!!

Peraí!

Não era até bem pouco tempo que vocês vendiam chapinhas para… domar seus cabelos revoltados?

Decida-se, POLISHOP.

[…]

O melhor mesmo é que você, mulher, decida ser o que é, naturalmente.

A beleza se faz com graça, e graça é a leveza que vem de dentro.

Leveza que alivia o fardo da existência, e deixa qualquer mulher naturalmente bonita.

Texto de 17 de janeiro de 2011.