Nesta semana, o cantor Zezé di Camargo anunciou que sairia do instagram.

Zezé di Camargo anuncia sua saída do Instagram

Zezé di Camargo anuncia sua saída do Instagram

A galera da ~ internet ~ zoou geral, porque a postura do cantor no instagram às vezes aparentava arrogância.

A própria frase “sou muito real para este mundo virtual” soou arrogante, ainda que verdadeira, porque a verdade manifestada, é mesmo arrogante e impiedosa.

A frase soou arrogante para quem não admite que muitas pessoas estão realmente muito acima de nós. E o Zezé está MUITO acima de todos nós, em termos de talento, competência, trajetória e realização.

Nina Lemos e seus cento e setenta zumbis de internet seguidores comentou acidamente a saída do cantor.

Talvez ela tenha alguma razão. Mas só alguma.

O Zezé é basicamente um sujeito rústico, que sabe o quanto a vida pode ser cruel, mas sensível o suficiente para ter composto e interpretado belíssimas músicas. É um sujeito forte, que tem talento e autoestima, e sabe disso, e não vê porque esconder. Talentoso, milionário, e amado por seus fãs, não vê porque se fazer de pequeno, pra agradar os outros pequenos politicamente corretos da internet. É um sujeito com um grandioso talento para a arte, o que não lhe obriga a ter o talento pequeno para lidar com internet formada por um mar de gente miserável de espírito.

De certa forma, a postura do Zezé não é tão diferente da postura do Chico Buarque, quando viralizou há alguns anos com um vídeo em que ele ria dos “trolls” que o criticavam na internet.

Ora, o Zezé fala muita besteira, como o próprio Chico às vezes também fala. Eles são artistas, muito mais do que intelectuais ou ativistas políticos. Têm seus defeitos e suas visões de mundo rasas, como qualquer um de nós. Um é machista. O outro é de esquerda. Mas ambos (assim como vários outros artistas que nem sempre se dão bem na internet) têm algo que nós não temos: Um talento fenomenal. Um compõe e canta bem, o outro compõe e entende muito de mulheres.

Mas na internet encontram essa gente pequena, anônima, muito intelectualizada e crítica, mas também muito ressentida (e com bastante tempo livre, pra usá-lo acompanhando o que não se gosta), com quem esses artistas não estão tão acostumados a enfrentar, afinal, num show deles só vai (e se predispõe a ir) quem os ama demais.

Na internet, por sua ampla acessibilidade, encontramos este estranho fenômeno no qual pessoas desocupadas perdem seu tempo acompanhando e criticando o que não gostam. É uma gente realmente virtual, onde encontram alguma voz para sua negatividade, porque na vida real, são absolutamente inexpressivas.

Vai Zezé, vai com Deus.

Mas não desejo isso com ironia, e sim, com a convicção de que você não precisa disso aqui.

E que o que você vive nos palcos é realmente mágico, para poucos.

Aproveita porque você é um deles.