Se quiser, te ensino a puxar carroças

Se quiser, te ensino a puxar carroças

Hoje encontrei a frase abaixo no Facebook, atribuída a Bertrand Russell:

O problema com o mundo é que os estúpidos são excessivamente confiantes, e os inteligentes são cheios de dúvidas.

Que grande verdade, não? Essa observação me é recorrente. Os maiores destaques da sociedade não são necessariamente gênios intelectuais. E muitos desses gênios conseguem a incrível façanha de morrerem pobres, quando não, anônimos.

É porque tem um problema .

A frase faz entender algo assim: “Oh, coitados de nós, tão inteligentes e tão cheios de dúvidas”. E pior, ela faz entender que É MELHOR ser inteligente cheio de dúvidas do que um “estúpido” auto-confiante.

Mas acho que as coisas não são bem assim, embora não queira de modo algum fazer qualquer apologia à estupidez ;)

O que quero é comentar que para se conseguir as coisas na vida, é preciso se decidir por algo e… parar de pensar um pouquinho. O raciocínio intelectual deve servir de base para decisões e ações práticas. O intelectual pelo intelectual é algo infrutífero, estéril, fadado a se eternizar… seja nas prateleiras empoeiradas das bibliotecas, ou em discussões acaloradas que levam de nenhum lugar para lugar algum.

O valor de todo o conhecimento está no seu vínculo com as nossas necessidades, aspirações e ações; de outra forma, o conhecimento torna-se um simples lastro de memória, capaz apenas – como um navio que navega com demasiado peso – de diminuir a oscilação da vida quotidiana. V. O. Kliutchevski

O verdadeiro êxito não está em ENTENDER o mundo ampla e profundamente. Está em TRANSFORMÁ-LO, e para isso só conhecimento não basta… é preciso AGIR. E e se os “estúpidos” são bons nisso, então os “inteligentes” também têm o que aprender com eles.

Também comentei sobre pontos de vista mais pragmáticos assim nos seguintes textos:

Como subir na vida
Pensamento positivo funciona? Não né…
Vamos! Toma uma atitude!

Texto de 14 de dezembro de 2011