Na minha época de estudante de 2º grau, ouvi uma professora fazer uma pergunta boba sobre sexualidade que à época pouco me chamou atenção apesar da surpresa da resposta. Era o 1º ano ainda, haviam muitos alunos “turistas” do tipo que sabe-se que não chegam até o fim do ano, e a aula era de Física. E a professorinha perguntou em meio ao assunto que estava no ar: “Qual é o maior órgão sexual” E começou o burburinho e risadinhas tolas de sempre. Após algum suspense ela saiu com a resposta: “Para quem pensou bobagem, o maior órgão sexual é o cérebro” e decepcionou a todos!

Na ocasião até me surpreendi com a resposta, não esperava algo assim tão profundo e confesso, estava pouco interessado em filosofar sobre o assunto. Mas hoje entendo o que a professora nos quis dizer. No ser humano, o sexo está para o corpo, assim como a sensualidade e o erotismo estão para a alma. Uma se relaciona com a outra, mas a sensualidade, como atributo próprio do espírito, a qual somente ele capta, é muito mais envolvente.

Porque não somente corpos são sensuais e esse é um atributo próprio do corpo. Mas uma postura pode ser sensual, um jeito de falar pode ser sensual, um olhar penetrante também, um sorriso iluminado, ou todos esses atributos juntos conduzidos por uma atitude inteligente e envolvente com certeza são sensuais, quase afrodisíacos. Theophile Gautier resumiu perfeitamente esta percepção ao concluir que…

Amar é admirar com o coração, e admirar, é amar com o cérebro

No caso das mulheres, a mera beleza masculina está longe de ser o único atributo a encantá-las. Muito antes da beleza, vem a autoconfiança do indivíduo, a qual chama a atenção por onde ele passa, como um bom perfume. E neste sentido, autoconfiança é resultado não só de inteligência teórica, mas também de experiência de vida, de malícia, qualidades que arrebatam as mulheres e tornam um homem ainda mais admirável aos seus olhos.

Mulher gosta mesmo é de ser surpreendida, e isso só acontece quando se depara com alguém mais esperto do que ela.  Homem que baba demais, no chance. Os que bajulam e não convencem, também. Os cafas, cruz-credo! [...] Os demasiadamente (ou precipitadamente) românticos têm grande chance de morrer na praia, porque acaba o desafio. Os posudos e pretensiosos não duram mais do que uma noite. Restam então os inteligentes. Kika Salvi

Recentemente, uma pesquisa confirma o que tenho dito ao constatar, na Inglaterra, que mulheres com maior instrução, tendem a ter mais dificuldades de se realizar na cama. A hipótese levantada por especialistas é a de que essas mulheres idealizam demais a situação, e travam diante da crueza do ato sexual. Sim, na imaginação, tudo é perfeito. Mas aquilo que atrai, encanta, provoca e excita entra em choque com uma realidade íntima esquisita e desajeitada, nem sempre levada em conta. Somente o hábito supera esse choque.

Entendo a sensualidade como a excitação causada pela constatação ou contemplação do que é belo ou de alguma forma incitante. E isso acontece na imaginação. Atualmente, chegaram ao ponto de afirmar que certos carros são sensuais. E não é difícil encontrar por ai alguns objetos produzidos pelo design contemporâneo que nos transmitem algo estimulante de alguma forma. Isso acontece porque ali não tem só funcionalidade, mas tem a mão inteligente de quem o concebeu na imaginação. Não é mera arte gratuita, é humano, é inteligência, tem alma.

A melhor definição que já ouvi para inteligência foi como sendo a capacidade de se estabelecer relações (entre idéias). Tem menos a ver com alardar CONHECIMENTO (embora um bom repertório seja fundamental) e mais com ESPERTEZA, perspicácia, agilidade mental, autonomia. É a agudeza de espírito que relaciona uma situação comum à outra incomum, e daí cria graça, leveza, humor, excitação. A alma humana se sente tão atraída por sentimentos elevados, quanto um corpo se sente atraído por outro.

Mas convenhamos, não sou puritano, se juntar os dois tipos de atração fica bem melhor.