Valeu cacalhada! Não vou me esquecer do tratamento recebido!

Valeu cacalhada! Não vou esquecer do tratamento recebido!

A história de Jesus sempre nos é passada como uma história de abnegação, de amor, de entrega e resignação. E é, de Jesus para conosco.

Agora, se formos inverter o sentido da interpretação, podemos muito bem concluir que a história de Jesus é uma história de ingratidão, do povo para com Ele, e um exemplo perfeito de como o povo, sob o “efeito manada”, sabe ser f.d.p.

Pensa comigo: Jesus, supostamente o representante de Deus na Terra, ou o próprio Deus, segundo outras interpretações, se dá ao trabalho de “descer” aqui, nesse mundo tosco. Nasce num estábulo fedido, passando frio, e se cria em meio à pobreza, numa região desértica e precária. Passa 18 anos da vida estudando, depois adota uma vida frugal pra poder andar pelas ruas pregando uma ideiazinha melhor para a vida daquele povinho chechelento, e para mostrar como seria tão mais vantajoso tratarem-se uns aos outros com amor e compreensão e enfim, o cara dedica a vida, não necessariamente por nós, como as igrejas gostam de dizer, mas para a sua própria mensagem adiantada ser ouvida e levada através dos séculos…

…e o que o povo faz em retribuição?

Crucificam-no!

(Não sem antes preteri-lo por um tal de Barrabás)

Vai lidar com o povo vai!