Lembre-se de sua vida, não de sua morte

Lembre-se de sua vida, não de sua morte

Muitos cristãos zombam da adoração dos indianos às vacas, e abominam os rituais tribais africanos, e ainda vêem com desconfiança qualquer estatueta de um Buda gordinho e sorridente, como se fosse a coisa mais normal do mundo adorar um homem seminu e ensanguentado morrendo aos poucos pela tortura em uma cruz.

Fico chocado toda vez que percebo como o catolicismo se fundamenta na adoração de um homem torturado; na adoração ao sofrimento. Ao menos os protestantes adotam uma cruz vazia, como símbolo de que Cristo ressuscitou, muito embora o símbolo de sua fé ainda seja um instrumento de tortura. Espíritas vão pelo mesmo caminho.

O que esperar de uma sociedade baseada numa fé cujo símbolo é um…

INSTRUMENTO. DE. TORTURA?

É bem verdade que todos nós só crescemos quando acordados pela dor.

Mas daí a cultivar uma adoração a um suposto sacrifício de alguém por nós me soa um equívoco enorme.

Principalmente quando se adora à morte de alguém que disse coisas fantásticas em vida.

Enfim, sofrer não é bonito, mas crescer com o sofrimento, e perceber e valorizar esse crescimento sim, é muito bonito.

Alguns cristãos confundiram a dor com o resultado dela, que é o desenvolvimento de nossa estrutura psíquica e espiritual.

Bonito é ser feliz, com toda a sensação de força, integridade, auto-competência e leveza que o termo felicidade pode trazer, virtudes que só ganhamos levantando a cada tropeço.

Preciso acreditar

Preciso acreditar