O vídeo abaixo fala a respeito de estudos científicos a respeito do fenômeno “falar em línguas”:

Assim como o vídeo acima demonstra, muitos religiosos também nos contam com um misto de assombramento e empolgação o fato de que em suas igrejas, algumas pessoas falam em línguas diferentes, até onde eu sei sempre desconhecidas, durante os cultos em suas igrejas.

Dizem “Ah, porque é a língua dos anjos”. Sim, não duvido. Mas como ter certeza? Alguém entende a língua dos anjos? Alguma escola de idiomas aí tá oferecendo curso de angeliquês e não me avisaram? Então como sabem?

“Ah porque é o espírito santo“. Até onde eu sei, o espírito santo, se existe, e quando vem, vem para ESCLARECER as coisas, não para confundir ou impressionar gente ingênua. Quem faz isso é o espírito bobo.

Dá pra entender o que falam? Não!

Então não há vantagem alguma. Montaram o circo pra iludir as crianças.

Antes que você, eventualmente um religioso, fique bravo comigo, pense: Se fosse grande vantagem falar em línguas estranhas, os evangelistas teriam relatado algum ato semelhante vindo de Jesus. Mas Jesus, todos sabemos, falou para o povo, na língua do povo, de modo inteligível. Ele não queria impressionar, ou melhor, impressionava de forma inteligente e não com artifícios.

Na melhor das hipóteses, MESMO QUE SEJA de fato a incorporação de algum espírito em alguém, se o que ele fala não é compreensível, então… Não quer dizer nada!

Eu

Eu

É só um espírito bobinho tirando onda de gente mais bobinha que ele.

Ora veja… Falar sem ser compreendido é, por exemplo, minha especialidade.

Sei do que estou falando!

Qualquer idiota pode fazer isso.

O difícil, MESMO, é falar e ser ampla e profundamente compreendido.

Texto de 11 de junho de 2011.