A vida sempre vencerá

A vida sempre vencerá

No dia 21 de dezembro, dia do fim do mundo, publiquei este texto. Uma mensagem de desabafo, do cansaço de tanta gente ter entrado nessa onda bobinha de fim de mundo. Queriam brincar, mas a brincadeira tinha perdido a graça já havia muito tempo.

Também havia publicado o primeiro texto no Facebook, onde uma amiga querida havia comentado:

Eu nunca acreditei que o mundo acabaria hoje. E o mundo realmente não vai acabar tão cedo. Mas é certo que as profecias tenham algo de verdadeiro. Tsunamis, terremotos, furações etc, estão dizimando aos poucos uma quantidade enorme de pessoas. O clima está totalmente irreconhecível. Em pleno outono, a Europa quase toda entrou num clima de inverno rigoroso, muitos amigos do FB, postando uma neve espessa e típica de inverno. Passamos a primavera toda, sem chuvas, num clima super quente de verão. Agora, na Globo News, informaram que a Inglaterra está vivendo uma enchente jamais vista. O inverno entrou na Europa, causando mortes em vários pontos do continente. A Sibéria tem os termômetros marcando -50°. É claro que transformações inusitadas estão acontecendo. O planeta, vai se acabar aos poucos. A crise do Euro é outro sintoma. Crise também nos USA. Eu não sei como isso acontecerá, mas sei que acontecerá, com certeza. O Sol, que é a nossa fonte de energia se transformará numa estrela anã. A Anã Branca (cientificamente confirmado) claro que tudo isso não acontecerá em um dia determinado. Tudo na vida tem um começo, um meio e um fim. A terra teve o seu começo, seu meio e terá seu fim. Claro que nós não viveremos esse fim, nem nossos filhos, netos, bisnetos… etc etc. O homem está acabando com a natureza, em prol do progresso. Esse progresso acabará com o homem. Você não vê, que tudo o que você disse, deveria ser dito pessoalmente aos seus amigos? Atualmente, nós não temos amigos. Nosso único amigo é o computador ! A fria máquina. Você acha isso normal? Saudável? Acho que isso já é o começo do fim do mundo!

Analisando o comentário dela, sempre com respeito, podemos perceber que ela coleciona vários e vários argumentos que embasam o derradeiro fim dos tempos. A maioria deles ecológicos (amplamente disseminados na mídia) e alguns sociais, observando um suposto comportamento contemporâneo que prioriza o contato através de computadores ao invés do contato pessoal. Sim, as coisas mudaram um tanto nos últimos tempos, mas será que foi tanto, será que está tão ruim assim?

Acredito que não!

Então tentei responder assim:

[…] deixa eu tentar dizer o que penso sobre tudo isso, sempre respeitosamente: Em relação a catástrofes, elas sempre existiram. Só que antigamente havia muito menos pessoas no mundo, de modo que morriam menos pessoas, e também haviam menos câmeras fotográficas e de vídeo, de modo que pouco se registrava, e pouco se ficava sabendo das catástrofes, porque também não havia uma internet para alastrar o medo e sensação cataclísmica pelo mundo todo em poucos segundos. Lembremos que o planeta já passou por eras glaciais e por períodos bem mais quentes que o atual. O planeta terra é muito grande para que ele “acabe” e isso só aconteceria mediante a queda de um super meteoro ou como você falou, quando o sol se expandir e nos engolir, coisa que deve acontecer dentro de bilhões de anos, segundo a ciência. Quanto à vida, ela já existe aqui há bilhões de anos e tem se adaptado perfeitamente através de todos esses extremos climáticos e geológicos. Mesmo a sociedade humana, apesar de todas essas catástrofes, só faz aumentar, já somos 7 BILHÕES.

Sou otimista e percebo uma trajetória de evolução e progresso na existência humana desde a antiguidade, e vejo que o atual momento de degradação ambiental é só uma fase, e que logo o próprio capitalismo entenderá sua responsabilidade em relação ao meio ambiente. Lembremos que há 20 anos ninguém sabia o que era sustentabilidade, que hoje é palavra de ordem no meio produtivo.

O que eu quero dizer é que a mídia se sustenta no medo, na notícia ruim. Notícia boa não dá ibope e portanto, não dá lucro. As empresas precisam que nós tenhamos problemas para elas poderem nos vender suas soluções. As pessoas têm dificuldade de conviver em meio à segurança e à tranquilidade, porque a certeza de que a vida continuará de um jeito ou de outro é entendiante. Elas precisam estar preocupadas ou com medo de alguma coisa o tempo todo. As pessoas precisam de emoção na vida e nada mais emocionante do que uma notícia ruim

Quanto a amigos, sou obrigado a rir. Quando estou junto a eles, só consigo enxergar crianças competindo para ver quem fala mais e mais alto. São muitos querendo falar e poucos querendo ouvir. Não só o Facebook mas a própria escrita é considerada até por grandes escritores como um bom meio de “falar sem ser interrompido”, constatação com a qual concordo sobremaneira.

Não só normal, como necessário… e hilário. Mas a verdade é que nós escolhemos no que vamos acreditar. E para mim está claro que ainda veremos muitos “nascer do sol”, muitos verões e muitos desastres naturais, como sempre :)

Sei que exagerei no tamanho do texto. Exagerei até na importância que dei ao comentário inicial dela. Mas quem sabe meu ponto de vista possa abrir os olhos de mais pessoas que em sua inocência, acreditam demais no que leem, sem perceber que qualquer informação pode ser contextualizada de modo a passar mensagens irreais.

A mídia quer público, quer leitores. E nada melhor para prender seus leitores do que criar um problema com uma matéria apocalíptica e depois mantê-los assíduos com matérias semelhantes.

Veja bem, pode ser que a sociedade humana realmente sucumba ao próprio progresso, isto é, ao progresso de que precisa para sobreviver, e desapareça do planeta na próximas décadas. Mas se isso acontecer, será apenas com os humanos. Quanto ao planeta, e à vida, que subsiste por todo o globo suportando as condições mais  extremas, esta só desaparecerá quando a Terra realmente for engolida pelo sol, isto daqui a uns 3 BILHÕES de anos.

Até lá teremos tempo pra relaxar e aproveitar cada dia de vida que nos será concedido.

***

Leia também: O Clima da Terra está mudando? Mas sempre foi assim…