De vez em quando estou “zapeando” os canais na tv e acabo parando em algum canal “religioso” (a palavra é outra, mas não quero criar polêmica) e lá está o casal, arrumadinho, comportadinho e bonitinho relatando suas experiências “espirituais” e querendo dizer com outras palavras que só quando começaram a frequentar determinada igreja é que tudo melhorou em suas vidas. A convivência no casamento melhorou, a saúde melhorou com a cura das doenças incuráveis, o dinheiro apareceu, e com ele carros, casas e outros objetos de desejo do cidadão médio.

Tudo bem, não vou duvidar. Acredito mesmo que quando alguém consegue elevar sua “vibração espiritual”, as coisas começam a fluir. Essa é uma possibilidade humana universal e as religiões a trabalham de distintas formas. Mas enquanto assisto a esses testemunhos, fico me perguntando: “Por que não sinto a menor vontade de seguir o exemplo de gente como esse casalzinho???”, ou: “O pessoal dessa igreja tá querendo atrair ou espantar fiéis?”

Eu tenho horror à idéia de frequentar ambientes de caráter religioso – muito embora entenda sua natureza e respeite quem simpatiza com a idéia e a pratica. Mas não consigo me libertar da idéia de que quem frequenta esses ambientes tem dificuldade de estudar(ou pensar) por conta própria e precisam que alguém fique lhes ditando o conhecimento. E quanto mais eu vejo esses testemunhos de quem adentrou ao rebanho, menos vontade eu tenho de frequentar qualquer ambiente desses…

Fazer o quê?