Trecho interessante retirado desta página.

– A fome não é uma inimiga, como pensa a maioria das pessoas que faz dieta. Os magros virgens, aqueles que nunca precisaram se controlar na vida, só comem quando têm fome. Quem precisa emagrecer não come só quando tem fome, come também por gula, ansiedade ou compulsão – diz.

Bia explica que no mundo contemporâneo há um excesso de ofertas – externas, como as propagandas sobre os alimentos; sociais, que são as pressões do marido, da vizinha, da sogra para comer mais um pouquinho; e as internas.

– Antigamente, o homem caminhava léguas para procurar o seu alimento que não tinha. Hoje ele não anda nada e tem que se proteger do excesso de opções.

Realmente, ao sedentarismo facilitado por uma sociedade que idolatra o mínimo esforço, soma-se a tendência natural à gulodice promovida pela ansiedade gratuíta desses nossos tempos. E ainda temos que lidar com o excesso de ofertas. A comida parece estar muito mais acessível atualmente, com variedade e opções que se perdem de vista nas prateleiras dos supermercados.

Ainda mais essa para estarmos atentos.