Como você se sente quando...

Como você se sente quando…

Não entendo como as pessoas conseguiram se habituar com o celular.

Para quem anda na rua o dia inteiro até faz ALGUM sentido.

Agora você andar no dia a dia com um negócio que só te interrompe à toa, por gente que acha que seus assuntos são sempre mais importantes do que o que você está fazendo naquele momento, não faz muito sentido.  Se eu tiver disponível atendo de bom grado. Agora, se eu tiver dormindo, almoçando, ou concentrado em qualquer outra tarefa naquele momento, não atendo nuuunca. Por que motivo você deve passar o seu tempo assim tão “disponível” aos outros? Quando foi que passamos a dever disponibilidade ao mundo?

Entendo que o celular faz muito sentido em ALGUMAS situações específicas, principalmente as relacionadas a negócios. Mas não em TODAS as situações.

Porque a coisa funciona assim: Você tem um escritório e atende pessoas. Elas normalmente esperam a vez para serem atendidas. Então, uma vez que estão sendo atendidas, basta alguém ligar para o seu celular, para este alguém imediatamente ganhar prioridade sobre a pessoa que está ali, à sua frente e que esperou para ser atendida.

Errado! O mais gentil e educado é não atender o celular na hora e, uma vez terminado seu atendimento, então sim você retornar a ligação. Quem está longe também deve aguardar sua vez para ser atendido.

Isso não só será sinal de respeito para quem está à sua frente sendo atendido, como será um fator a menos de pressão mental e estresse para você. Cada coisa, e cada um, no seu devido tempo.

CASO você esteja esperando a ligação e o assunto seja muitíssimo importante, convém avisar a pessoa que você vai atender pessoalmente que você PRECISA atender caso tal pessoa ligue. Mas a verdade é que poucas coisas são tão urgentes assim.

O mundo pode esperar.