Cresça, peloamordedeus!

Cresça, peloamordedeus!

A bondade e a generosidade engrandecem a alma. O apego e a mesquinhez a apequenam.

Uma das poucas coisas pelas quais me orgulho é que desde 1980, eu realmente cresci. Não só no corpo, mas também mentalmente.

Não me apego a picuinhas, deixo as pessoas acharem que estão com a razão, deixo que fiquem com mais que eu, deixo pra lá o que não me acrescenta nada ficando do lado de cá.

Eu abro mão de muitas coisas na vida, em especial, do enfrentamento. Uma pessoa isenta poderia dizer que eu sou o que usualmente se chama de um banana. Talvez seja, mas de fato minhas prioridades são tão outras, que sempre que vou dormir, o que ocupa meus últimos pensamentos nunca são as pequenas coisas pelas quais abri mão durante o dia.

O que ocupa meus últimos pensamentos são sempre coisas realmente, e profundamente, importantes para mim, e certamente podem ser contadas nos dedos… de uma mão.